• Alex Fraga

Social - Abril Indígena tem início nesta sexta com diversas atividades

Acontece nesta sexta-feira (1) a abertura a abertura oficial do Abril Indígena, no Memorial da Cultura Indígena “Cacique Enir Terena”, a partir das 19 horas. Será um mês repleto de comemorações dedicadas aos Povos Originários, com atividades até o dia 30.

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo está com parceria com as comunidades indígenas. O objetivo é divulgar a cultura tradicional indígena no município, buscando a integração social.

Nos dias 29 e 30 de abril, acontece a I Feira Indígena de Campo Grande, com a participação de dez comunidades indígenas. Este evento surge para reunir as aldeias urbanas da cidade, em um polo de geração de renda e proporcionando a oportunidade de fortalecer a cultura nativa, trocar experiências de empreendedorismo, saberes e sabores relativos às atividades individuais desenvolvidas, bem como, divulgar e promover a diversidade étnica.


O evento conta com as seguintes parcerias: Comunidade Marçal de Souza, com danças típicas e shows; Fundação Zahran com a Orquestra Indígena de Campo Grande, Viação Cruzeiro do Sul, Artista Ghva, Escola Padrão, Associação Luvas Brancas da Loja Maçônica Justiça e Perseverança, Itamar e Banda e Academia de Letras do Brasil-Campo Grande.


A I Feira Indígena de Campo Grande contará com as seguintes participações: Comunidade Indígena Estrela da Manhã, Comunidade Indígena Nova Canaã, Comunidade Indígena Darcy Ribeiro, Comunidade Indígena Água Funda, Associação Núcleo Ceramista, Comunidade Indígena Marçal de Souza, Comunidade Indígena Água Bonita, Comunidade Indígena Paravá, Grupo Mulheres Artesãs e Comunidade Indígena Marçal de Souza.


Durante todo o mês de abril, o público terá oportunidade de apreciar o artesanato indígena das etnias Terena, Kadiwéu, Guarani e Kinikinau, em exposição permanente no Memorial, atividades com a escola Padrão, bem como a exposição “Povos Originários”, com séries de retratos em acrílico sobre tela, pinturas do artista visual Ghva Maurício, que pesquisa há décadas os povos indígenas brasileiros. Na exposição estão previstas nove obras da série “espelhos da terra” de 2021, em que o artista retratou o povo terena. Além disso, a exposição contará com outras obras inéditas, de diferentes povos do MS, como Kadiwéu e Guarani. (Com Ass. Sectur)

19 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo