top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Show/Crítica - VPL Blues encanta com som diferenciado técnico e profissionalismo!

Banda paraguaia brilha com o som mesclado com muito blues em Campo Grande (MS)

O cantor americano Al Jarreau disse um dia: "Você tem que fazer um esforço decidido para não ser seduzido pelo blues". A frase desse grande artista pode ser dita por muitos que assistiram o show no último sábado no Blues Bar, em Campo Grande (MS), a banda paraguaia Versión Palma Loma Blues (de Assunção-PY). Na verdade, o blues da VPL no idioma guarani, deu um toque a mais de sedução e esse diferencial marca principalmente naqueles que residem no Mato Grosso do Sul. Dominique Bernal, Cali Jativa, Aaron Zorrilla e Rafael Arce mostraram que formam uma banda diferenciada e que não deve para ninguém no Brasil no que se refere ao verdadeiro som do blues dançante. A banda segurou com muita competência praticamente duas horas de espetáculo, onde foi referenciada pelo público que lotou as dependências do Blues Bar. Apesar do horário tardio do show, já que a abertura com a Banda Dente de Ouro ter iniciado por volta das 22h40 minutos e tocou também por cerca de 1 hora e meia - algo que se deve pensar nos horários das apresentações, já que se torna muito cansativo assistir outras bandas posteriormente, mesmo assim o público curtiu muito e aprovou a apresentação desses grandes talentos do Paraguay. Dois artistas do Estado puderam dividir o palco com os paraguaios: o músico Rodrigo Teixeira e a cantora Méri Oliveira, que também fizeram o show mais que especial. Essa troca musical entre artistas paraguaios e brasileiros sempre deu certo justamente pelo encantamento dos sons e idiomas. Dominique Bernal, cantando, tocando com seu saxofone fantástico comandou o espetáculo e até desceu do palco, passeando entre o público - tocando magistralmente gaita. A interação com o público foi de imediato. E é assim que um artista deve se portar...trazer a pessoa para si musicalmente. O baixista Aaron Zorrila, mais calmo e quieto de todos, como a maioria dos baixistas, acompanhou seguramente o blues com muita intensidade e técnica invejável. Rafael Arce, baterista lembrou-me muito a batida do grande americano Steve Reid que acopla o blues-jazz-rock em seu som. Um músico completo e com uma técnica invejável. Por fim o guitarrista Cali Jativa, já conhecido pelos sul-mato-grossenses pois se apresentou juntamente com Dominique no Bonito Blues Jazz Festival. O artista fez solos incríveis e preencheu todos os espaços e tempos musicais. É outro artista que merece muita atenção pelo excelente desempenho em palco. A banda paraguaia Versión Palma Loma Blues deu um verdadeiro show e com certeza merece retornar aos palcos não só no Blues Bar como também em várias cidades do Mato Grosso do Sul. Impecáveis!


116 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note
bottom of page