• Alex Fraga

Seminário de Composição - Tato Fischer convida Jerry Espíndola e Ciro Pinheiro

Seminário: Como é que você compõe?, com Tato Fischer, Jerry Espíndola e Ciro Pinheiro

Desde maio do ano passado, o cantor, pianista, ator e diretor musical Tato Fischer realiza um evento privado no zoom.us , com vários artistas do país com o tema: Como é que você compõe? Nesta terça-feira, a partir das 19h30 (horário Brasília) - 18h30 (horário Mato Grosso do Sul), os convidados serão os artistas sul-mato-grossenses Jerry Espíndola e Ciro Pinheiro. A contribuição sugerida é de apenas R$ 20,00 e os interessados poderão enviar o comprovante do depósito para (11) 98251-7500 (Pix) - Banco Nubank - Cód.260 - Agência 0001 Conta 8052613-6 (Carlos Eduardo Fischer Abraides).


Tato Fische nasceu em Penápolis, interior de São Paulo, em 1948. Ele foi o primeiro pianista do conjunto Secos & Molhados e estudou Piano Erudito no Conservatório Musical de Lins, Psicologia na PUC e Artes Cênicas pela Universidade São Judas. Em 1972, iniciou sua carreira no teatro como ator, e até 1979 dava aulas de canto e tocava piano. Neste ano, montou “Chou”, seu primeiro espetáculo musical, dando início a uma série de outros projetos, cantando composições suas e de outros autores. Entre as décadas de 1970 e 1980, Fischer fez parte dos grupos de teatro Vereda e Mambembe, realizando alguns trabalhos como A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente, dirigido por Carlos Alberto Soffredini e Trágico à Força, de Anton Tchekhov, dirigido por Marcio Aurelio.


Ao longo de sua carreira, Tato participou de muitos festivais de música, e recebeu diversos prêmios por seus trabalhos, como o APCA (Associação Paulista de Críticos Teatrais), por “Foi bom, meu bem?”, de Luís Alberto de Abreu, e o Prêmio Mambembe, na categoria Direção Infantil, por “Dom Chicote Mula Manca”, de Oscar Von Pfuhl, além de ter integrado o Coral Standards de Jazz da Universidade Livre de Música Tom Jobim, de São Paulo, idealizado os projetos “Cantar Pra Ser Feliz” e “Pela PAX!” , e realizar oficinas de voz e canto, por todo o brasil com grupos de teatro e coral.


Fischer trabalhou com importantes nomes da música e do teatro, entre eles, Tetê Espindola, Almir Sater, Margareth Menezes, Cida Moreyra, Trovadores Urbanos, Beatriz Segall, Rosi Campos, Gabriel Villela, Ney Latorraca, Jonas Bloch, Márcio Aurélio, Carlos Alberto Soffredini, Renato Borghi, Ester Góes, Walter Breda, Alberto Gaus, Paulo Herculano e Samuel Kerr. A Lenda do Vale da Lua, de João das Neves, dirigido por Wilma de Souza, A Casa, roteirizado e dirigido por Rudifran Pompeu, e o espetáculo Floresta dos Mistérios, escrito e dirigido por Márcio Araújo, são alguns dos muitos trabalhos realizados por esse multiartista.

14 visualizações0 comentário