• Alex Fraga

Reflexão – Recordando Tonhão Boca de Porco, de Sylvio D`Prospero

Um texto interessantíssimo do poeta e escritor Sylvio D`Propero: coisas que só ocorrem em botecos da vida. - - -



Ontem à tarde eu estava sentado no banquinho, agora velho, do Antro Etílico, boteco que costumo frequentar, quando Tonhão Bôca de Porco, meu amigo de bar entrou afoito, pediu uma “liza” e gritou pra mim:

- Seu Silvo, tava pricurando o sinhô, tô vendo na TVzinha qui us juiz tão locos, num sabenu jurgar, qui u prisidente num sabi guvervá, quí us hospitar num tão atendenu ninguém, quí num tem imprego, quí tá cheio di puliticus robano, quí tem patrão robano, qui tem impregadus robano i quí num tem dinhero pra mai nada i qui o Brazir vai pará, é verdade isto, seu Silvo???

Olhei para o Tonhão, e fiquei observando aquele homem sofrido, analfabeto, trabalhador, sem muitos sonhos, tentando apenas viver o tempo que lhe resta de vida e me perguntei; porquê estaria preocupado com a realidade do Brasil, que passa na TV?

-Tonhão, você não precisa se preocupar com o que diz a TVzinha, muitas vezes são apenas novelas, programas humorísticos e noticiários que, quase nunca diz respeito à gente, pois não vai modificar em nada nossas vidas.

Tentei deixa-lo mais tranquilo, com o que se passa no nosso Brasil; Tonhão, me olhou, entornou a liza góela abaixo, ficou pensativo, coçou a cabeça, com a mão calejada e, com um sorrizo largo e feliz me disse:

-Intindí seu Silvo, nóis é quiném cachoro de rua, qui córri latino atraiz du caminhão di mudança, mais quandu eli pára, num sábi uquí fazê, intão levanta a perna e mija no pineu!!!!

Deu uma gargalhada de esperto, pediu outra liza, que virou num góle só, deu um tapinha no meu ombro e saindo falou, para me explicar melhor o seu entendimento:

-Vô espricá seu Silvo, eu sô u cachorro de rua e cum isperança tô correno, o caminhão qui tá andano i pára, é o Brazir prumitido, u mijo do cachorro somus ú povu, quí num intendi nada e num servi pra nada, í us pineus são us puliticus, juiz, patrão e tudus us ladrão, quí memo mijadus, continuam levando o Brazir imbóra!!!!

Me deu um aceno, eu fiquei espantado, olhando Tonhão descer a rua assoviando o Hino Nacional, tendo a certeza de que ele, muito mais do quê eu imagino, tá entendendo tudo o que está acontecendo no Brasil.

É, então tá então, Tonhão!!!!!!

(Véio D'Prospero)

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W