• Alex Fraga

Reflexão – “Palavras que se desgrudaram da memória”, Sylvio D Prospero

Segunda-feira, reflexão no Blog do Alex Fraga, do poeta e escritor de Curitiba (PR), Sylvio D Prospero, com “Palavras que desgrudaram da memória”.

De repente começo a perceber que muitas palavras, expressões, citações e até frases, novas ou antigas, não são mais "grudadas" no meu mural de memória, elas simplesmente se desprendem e ficam vagando, criando uma confusão nos meus pensamentos.

Por ser gago fui orientado pela minha professora do primário, dona Deisi de Abreu, filha do grande compositor Zequinha de Abreu, à buscar novas palavras com os mesmos significados, para substituir as que eu tinha dificuldades para falar, o que me fez ler muitos livros e ter o dicionário como livro de cabeceira, e que me permitiu possuir um grande vocabulário, até um tanto eclético, eu diria, mas que muitas poucas vezes usei.

Deve ser por isto que meu mural está sobrecarregado e não consigo mais grudar novas palavras em minha memória, pensei, tentando justificar a deficiência que começava à se fazer presente.

Com o passar do tempo fui percebendo que outras palavras, especialmente as não costumeiramente faladas ou escritas haviam se desgrudado também.

Lentamente fui percebendo que meu mural estava ficando desocupado, por mais que eu “regrudasse” ou grudasse novas palavras.

Então não vi mais o mural e consequentemente todas as palavras e, como uma tempestade de areia tudo virou pó, com tudo se dissipando diante do meu olhar e da minha memória.

A agonia e o desespero de não ter mais palavras, nem velhas nem novas, bateu fundo em mim, me fazendo brigar comigo mesmo, me culpando por não tê-las usado, não ter buscado novas, com tantas oportunidades que tive, e de não tê-las repetidas ou mais escritas, mesmo que ao vento, para quê neste momento insano, pelo menos, pudesse ouvi-las, mesmo que apenas pelo eco do tempo!!!


(Saúde paz amor Véio D'Prospero)

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo