• Alex Fraga

Reflexão - Eu,meu amigo Minhoca e a cápsula do tempo, por Sylvio D Prospero

Outra reflexão do poeta e escritor de Curitiba (PR), Sylvio D Prospero com suas novas histórias e aventuras

Boa parte da minha infância foi passada no bairro do Caxinguí em São Paulo, onde junto com meus amigos passamos várias aventuras juntos. A cápsula do tempo, foi uma ideia do Minhoca, meu amigo inseparável do bairro. Em uma lata de leite em pó, vazia e bem limpa, colocamos alguns objetos, como bolinha de gude, pião, estilingue e uma mensagem de dizia: "colocamos estas coisas nesta capsula do tempo, pra quando a gente ficar velhos a gente se encontrar aqui e abrir, 18 de janeiro de 1960 assinado Minhoca e Pinta Silvo". (pinta silvo era meu apelido) Com o passar dos anos me esqueci da cápsula do tempo, e nunca mais eu soube do Minhoca. Alguns anos atrás ao passar pelo Caxinguí, me lembrei e passei pelo campo de futebol, onde havíamos enterrado a cápsula do tempo. Sobre o terreno do campo, vários prédios de apartamentos foram erguidos. Parei o carro e viajei na recordação, vendo dois garotos enterrando uma lata de leite em pó, com tantas esperanças e ansiedades, para que o tempo passasse depressa e se encontrassem, já velhos, cavocando o chão duro e desenterrando a cápsula do tempo. A recordação foi interrompido pela buzina de um carro, querendo entrar na garagem do edifício. Antes de partir fiquei imaginando se o Minhoca teria passado por aqui e desenterrado a cápsula do tempo, ou foi outra pessoa que a encontrou e guardou os objetos e a carta escrita pelo Minhoca e o Pinta Silvo, se é que ela resistiu ao tempo, como minha recordação!!


(Véio D'Prospero)

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo