• Alex Fraga

Reflexão – Diário de uma Idosa XIII, por Joana Prado Medeiros

Novo texto da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com seu Diário de uma Idosa XIII.




... Mui especial, pra cá de especial. De olhos fechados te direi...Amigo, eu me desespero...Uivo! Vivemos uma civilização que nos concedeu "mais tempo", mas detesta a passagem do tempo. Milan Kundera, em seu romance A lentidão (1995, p. 42), lança-nos uma pergunta deveras interessante: Por que o prazer da lentidão desapareceu??? Nesta noite especial de lua cheia registro aqui um sonho: Quero VIVENCIAR um encontro que possa se dar lentamente, que tenha sua velocidade diminuída para que seus afetos percorram com maior intensidade entre os corpos afetados e “devagarmente” namorar... Marinar noites de prazer... Conversar carne e tatear palavras... Sem tempo, sem delongas e promessas.


( Joana Prado Medeiros - 28/02/2021) É pandemia.


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo