• Alex Fraga

Reflexão – Diário de uma Idosa III, por Joana Prado Medeiros

Dando continuidade em seus textos, poeta, escritora e professora historiadora universitária, Joana Prado Medeiros chega nesta quarta com sua terceira reflexão.




Fui por tanto tempo enamorada de ti... Você me enviou um áudio... Reencontrou-me na rede social. O espelho, tive que correr e por meu rosto dentro dele... Minhas mãos estão frias pareço ainda a mesma adolescente que um dia você conheceu... Contudo o espelho mostra um rostinho murcho pequenino, olhos brilhantes emoldurados por cabelos prateados. Você espera meu áudio de resposta respiro, bebo um gole de chá e respondo com voz tremula confirmo que houve sim um tempo de amor e até cito canções que só a nós pertencia. Porém, contudo e todavia, acrescento temos tão pouco a dizer, alias, eu nada quero dizer, nem quero trocar telefonemas nem fotos de nudes nem sussurros em êxtases de febris imaginações. Meu caro nada quero que possa destoar do meu eu... Tão duramente conquistado...Te amei um dia, chorei muito quando você exigiu uma escolha minha ou o casamento ou o curso de normalista, dizia querer uma mulher para o lar...Eu desolada segui o giz, a lousa, os livros e as dores como companhias...Agora você ressurge com vestes modernas, cibernéticas, querendo sessões sensuais virtuais... Oh! senhor lindinho da voz de Manjolo se dê o respeito. Tão suave o seu pseudo atual discurso, comum para tantos. Talvez para os carentes, aos anêmicos emocionais. A mim, a mim não, eu desaprendi teus conceitos cristalizados, e a onda hodierna na minha visão holística caríssimo é o amor pleno, franco ético envolvido em compromissos e dedicações de estreitamento de laços sem nó, com alteridade, este sim é revolucionário. E depois eu continuo avançada demais para minha época como você sempre dizia. Eu continuo extemporânea e acredite: eu acho tão demodé essas relações fast-food sobretudo quando são encaminhadas por machistas e misóginos.. Que usam dos recursos virtuais para manter suas precárias relações.. Sem comprometimento, sem ética, sem respeito e ainda acham que é só bloquear que tudo bem... brincar com sentimentos para mim é crime. Fique tranquilo senhor do “vozerão” eu a despeito da idade sou ainda a mesma mulher que um dia escolheu o diploma de normalista a casar contigo. Casei comigo e mantenho uma relação de muitas lutas com vitórias, perdas e cada dia aprendo melhor a dizer um saboroso "não"... Que feito chocolate picado dão gosto ao meu "sim".


(Joana Prado Medeiros) 06/02/2021) É pandemia.


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo