• Alex Fraga

Reflexão - Diário de uma Idosa 72, por Joana Prado Medeiros

Quarta-feira, dia de Reflexão do Blog do Alex Fraga com texto da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com "Diário de uma Idosa 72".

Não, não, não definitivamente não, não estou no meu compasso...Em que circunferência me perdi? Qual esquadro na parede hirta estou pendurada? Ou será que na gaveta dos triângulos me amordaçaram? Triângulos tão ângulos de sedentos amores, saias e batons carmim e suspensórios soltos! Retângulo macio da cama de outrora ou será redonda? E o espelho oval que me olha e não me vê? Ou o abajur art déco deslocado que esqueceu de me ligar? Ou será que dormi no meu espartilho de renda cor champanhe? Ou ainda será que dormi um sono profundo dentro das minhas meias fumê me perdi em sua costura atrás...Revelando as pernas torneadas que agora entrelaçadas murmuram um tango de Gardel! Onde estão meus seios em taça a sorver sofreguidão e frenesi? Será que estão no meu chapéu? Onde estou que não me encontro? Estou na luva 3/4 preta? Ou namorei e morri na tosse do poeta tuberculoso à poetar? Ou quem sabe no pó de arroz esquecido na velha penteadeira vintage e demodé...E o perfume Coco Chanel venceu? Espere, espere um pouco ainda vislumbro o Scarpin vermelho... Cadê o vestido de seda preto "aquele vestida para matar" que estava aqui?... Não, definidamente não estou em mim...Garrei vagas de outrem...Preciso urgente devolver essa vaga...Feito as contas do meu colar de pérolas pagarei severa multa por fugir de mim...Ai de mim! ( Joana Prado Medeiros - 16/10/2021)

É Pandemia. — sentindo-se nostálgica


* Este Diário é dedicado ao homem de mãos pretas!


21 visualizações0 comentário