• Alex Fraga

Reflexão - Diário de uma Idosa 64, por Joana Prado Medeiros

Sexta-feira, no Blog do Alex Fraga, reflexão da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com seu texto Diário de uma Idosa 64.


Do frouxo Inventário ...

Algo dói na nesga da janela nesta noite de lua cheia, arranhado a janela roserais anuncia o início da primavera...Entrecortados suspiros no meio da noite que brilha. Lembranças dançam na rede vazia na varanda. Tudo está em seu lugar contudo, descolocado o eu desvestido geme solto sob o cheiro das flores. Resoluto, teima suas impermanências. Arguto, atento, sente o cheiro da casa e de olhos fechados revisita cômodo por cômodo a procurar os entes...Onde está todo mundo? Em que baú guarda o sorriso dos amados? Cadê o livro das horas vividas que aqui deixei? Onde foi parar a fita métrica e o esquadro? Cadê o seu bobo de agulhas? E o dedal? E o serrote e a mesa de carpinteiro que tomava todo o galpão? E o pala? A chaleira e a cuia de chimarrão? E a sua Carteira de Fiscal do ICM estadual? E a jaqueta de motoqueiro do menino que morreu tão cedo sonhando em ir para o Rock in Rio? Cadê o meu livro Manifesto Comunista embrulhado na bandeira santista escondido no fundo da gaveta da cômoda? E minha boina e os meus botões do Che Guevara e o cartaz de Marçal de Souza o pequeno deus banguela de lábios de mel? Onde estão? Mas, feito santo o fusca vermelho montana empoeirado na garagem me cuida. O sorriso preso na máscara não sorri. Hoje, passa vergonha alheia a face vestida!!!


( Joana Prado Medeiros - 21/09/2021) É Pandemia.


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo