• Alex Fraga

Reflexão - Diário de uma Idosa 54, por Joana Prado Medeiros

Sexta-feira, no Blog do Alex Fraga, reflexão da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com seu Diário de uma Idosa 54.



No cú do Tocha! Nasci num recanto feliz bem pertinho de um vilarejo, tinha ao longe um córrego com uma pequena cachoeira tinha o pé de manga da tia Bada e o abacateiro do meu pai...Tinha um pé de paineira que nas noites de lua havia cantoria...Tinha o bolicho onde meu pai vendia fumo de corda, arroz, feijão e pinga Tatuzinho...tinha a reta ( estrada) no meio do cafezal, Tinha a colônia morada dos empregados do café...Tinha o terreirão. Tinha os índios que viviam na aldeia ao lado que faziam fila para minha mãe aplicar injeções...E dar cibalena e fazer curativos. Pertinho tinha a casa da vó Joana, havia um batedor ( tora pra lavar a roupa) e duas bacias grandes um gramado para alvejar as roupas "o guarador..." Tinha um galpão com um forno e um tacho grande para fazer farinha, um ralador de mandioca, um tacho enorme e duas pazinhas pra mexer a farinha, um moedor de café e o torrador...Que quando torrava o café era uma festa de cheiros e cuidados era muito quente o troço...Na casa da vó em cima de uma mesinha redonda na sala havia uma sanfona e ao entardecer meu tio Tonho tocava...Tinha bolinho frito e chá de Toddy ... Ou chá de brasa...Sou neta ( materna) de nordestinos que queimavam o açúcar e come farinha quente na frigideira. O Tocha acompanhava minha vó onde quer que ela ia...Era um cachorrinho preto de rabo pitoco com uma tocha branca no cu...O Tocha salvou minha avó quando uma taturana bezerra queimou sua mão, minha avó desmaiou ao lado do pé de café e o Tocha ia até a casa e latia e voltava e tantas fez que alguém prestou atenção nele e assim acharam minha avó...E assim cresci e quando uma coisa sumia era comum ouvir de alguém: De certo tá no cu do tocha!!!...E essa expressão perdurou e até os bisnetos e os tataranetos. E agora eu digo: "As lembranças migraram estão agora no coração do Tocha."


( Joana Prado Medeiros 14/08/2021) É Pandemia. Ver menos


27 visualizações0 comentário