• Alex Fraga

Reflexão - Diário de uma Idosa 42, por Joana Prado Medeiros

Nesta quarta-feira, no Blog do Alex Fraga, texto de reflexão da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com “Diário de uma Idosa 42”.

Eu vi a lágrima nascendo, eu vi o tempo...Eu vi a lágrima descendo naquele rosto...Eu vi a lágrima escorrendo caindo...Naquele pescoço sustentáculo da vida...Caindo no relento do peito...Nos ombros feridos das labutas...Do peito ferido das bandeiras erguidas...Eu vi o barraco da vida com a pia de pratos vazios...Eu vi o altar esvaziado!!!...Eu vi o pranto de estômago vazio gritando...E vi o sangue vermelho correndo em todas as veias...No mesmo canal dos aquedutos humanos...Sem tirar nem por...O mesmo sangue...Enquanto uns não respiram e vivem outros param e partem...Não cabe a mim tal ciência? Será mera filosofia? Que não cante meu famigerado coração, quem sou eu na ordem do from? Que sei??? ... Só sei que antes que o galo cante tu terás traído alguém...Ou algo? E a cada dia basta seu mal ou bem???...E quem sou eu para dizer o contrário? Se deito na esteira de Hermes Trimegisto...Se o que está em cima está embaixo!...E sem resolver a questão...Respiro e solto...Respiro e piro... Paro...O céu está lindo e a lua besta de prata me banha...Respiro, Transpiro..respiro...E nada sei...Fui embora...Sou faísca...Caio sem previsão de volta em um Niilismo profundo...

( Joana Prado Medeiros - 27/06/2021) É Pandemia

20 visualizações0 comentário