• Alex Fraga

Reflexão - Diário de uma Idosa 119, por Joana Prado Medeiros

Quarta-feira no Blog do Alex Fraga, dia de texto de reflexão da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com seu "Diário de uma Idosa 119".

DIÁRIO DE UMA IDOSA 119


Meu povo ninho, abestado...Sábio, povo triste, sobrevivente...Povo "sequin" de lágrimas! As festas de São João, de Santo Antônio, de Maria, Pedro e de São Bento e São Benedito. Expedito. Eu de fato curto é o arquétipo. É a crença é os ditos e rezas populares é a arte sacra de barro de fundo de quintal são os quadros de santo "male feitos" nas paredes das casinhas. As imagens quentes de sol e poeira no cantinho da sala mirando as dores e alegrias. É o som das vozes misturada de suor, lágrimas e cansaço nas ladainhas rogai, rogai por nós santa mãe de Deus...Santo Antônio pequenino...As saias coloridas as canelas secas o dedão do pé feito a cabeça de um santinho nas tiras empoeiradas do chinelo... Procissão. E a mistura do sagrado e do profano sabe, eu acho tão lindo e tão triste essa fé imolada, amolada e emulada, essa fé virada tripa de lavá de come...De labuta, de namoro e tradição. Eu espicho os olhos nas rezas nos raminhos nos benzimentos... Tão lindo o meu povo tão ovo...Que não nasce nunca, só, choca.


( Joana Prado Medeiros - 28/06/2022) É Pandemia.

21 visualizações0 comentário