• Alex Fraga

Reflexão - Diário de Uma Idosa 115, por Joana Prado Medeiros

Quarta-feira no Blog do Alex Fraga é dia de texto da historiadora, professora universitária e poeta Joana Prado Medeiros com seu Diário de uma Idosa 115.

DIÁRIO DE UMA IDOSA 115.


Queria escrever CRUELEZAS a vida no espeto na brasa...Mas, não sai. Escrevo algodão doce que de vez enquanto queima e vaza... Queria ser escritora! Mas, só sei de água com açúcar que as escondidas lagrimam...Escrevo a vida de pequena burguesa do baby doll Vitória Secret guardado na gaveta. Mas, hoje, eu vomito bílis para os que dizem que o passado era melhor que os dias atuais...No passado pessoas eram obrigadas a "contrair" casamentos sem amor para manter reinados ou por obediência. Havia os casamentos entre próximos muito próximos para manutenção da coroa. Na história humana orgias sexuais de toda sorte, torturas e mortes públicas em festas de sangue. Em outros séculos jovens homens cantores eram (não sei se essa prática se mantém) castrados para adquirir bela voz "os cantores os castrati." Mulheres mutiladas em sua genitália. Em Roma antiga nos salões os vomitorios e o uso de drogas tão antigo quanto o pergaminho de Hamurabi. Crianças ( uma invenção recente) as mães da nobreza as deixavam com suas amas. O amor romântico foi criado ao final da idade média. E os horrores das igrejas! E da indústria da beleza usando placenta oriundas do aborto produtivo. E o sacrifício dos animais para perfumar gangotes assassinos. E o tráfico de órgãos e os escravos sexuais...E...e...e...Nada é estranho e tudo dói manchado de sangue agora filmado e sem odor.


( Joana Prado Medeiros ) Ainda é Pandemia.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo