• Alex Fraga

Reflexão - Diário de uma Idosa 53, por Joana Prado Medeiros

Quarta-feira no Blog do Alex Fraga, texto de reflexão da historiadora, professora universitária, poeta e escritora de Dourados (MS), Joana Prado Medeiros, com o seu "Diário de uma Idosa 53".


Não, não escrevo um livro porque não quero... Não sei também traduzir com precisão este não querer...Talvez porque não quero ser rotulada, não pretendo ser catalogada em nada...Nem quero fazer parte do elenco dos que se transformam vendedores de suas escritas não tenho nada contra muito pelo contrário teço louvores e graças...E os abençoou sou leitora assídua e sou feliz por isso. Por enquanto me basta o teclado e a página em branco nela tudo é aceito desmaia o meu eu em glórias e feridas... Não quero saber se sei escrever por ora me basta enrolar letrinhas e frases formar...Me basta sonhar, doer e escrever ...O encanto é meu e o desencanto também ...Sobrevivo e tento viver sem plateias e sem seguidores..."Sem seguir dores..." As dores eu que salgo eu que deixo de molho...Ainda que sabendo que nunca estamos sós...Ainda assim, me dou o luxo ao lixo de não pertencer a nenhuma tribo...Escrevo e ponto se serei lida ou não lida pouco importa, não sou poeta, nem escrevo prosas nem crônicas nem contos só prossigo infinitos...Se nesse arco íris você encontra por momentos o teu pote fico contente o meu eu guardo e floreio. Não quero meu nome hirto em uma estante empoeirada. Quero meu nome vivo em alguma lembrança...Em alguma mesa de bar...Ou ao pé da roseira de um jardim ou no espartilho de uma fogosa amante...Ops, também quero meu nome revivido através de uma ex-aluna relembrando minhas explicações brilhando na dialética de Marx em uma sala de aula ...Não sou nada e nesse nada eu nado com braçadas largas este mundo...


( Joana Prado Medeiros - 13/08/2021) É Pandemia.

— sentindo-se sem importância.


32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo