• Alex Fraga

RAP - Falange da Rima celebra 20 anos de EP com show neste sábado

Mano Clay, Jhon Geral, Mt FLynt e DJ Magão, os caras do grupo de Rap mais antigo e principal do Mato Grosso do Sul, o Falange da Rima, comemoram neste sábado 20 anos do lançamento do primeiro EP intitulado Mariposa Assassina - “Acheromthius Lexis” (Letal se for tocado). Os rappers irão se apresentar a partir das 17 horas no Larica's - R. Antônio Maria Coelho, 1663 - em Campo Grande (MS).

Para aqueles que acham que não há um movimento de Rap forte em Campo Grande (MS), com certeza estão desatualizados há tempo. Exemplo claro dessa verdadeira resistência do som que mostra a verdade da periferia, é que neste sábado (11), o grupo mais antigo do gênero da cidade, "Falange da Rima", estará se apresentando a partir das 17 horas no Larica's, comemorando os 20 anos do primeiro EP, intitulado Mariposa Assassina - “Acheromthius Lexis” (Letal se for tocado).


O Falange da Rima surgiu em 1998, e suas letras falam sobre a realidade das periferias, discutindo temas como o crime, a pobreza, preconceito social e racial, drogas e consciência política e também cantam a fé. Usando a linguagem da periferia, com expressões típicas das comunidades pobres com o objetivo de comunicar-se de forma mais eficaz com o público jovem de baixa renda, as letras do grupo fazem um discurso contra a opressão à população marginalizada na periferia e procuram passar uma postura contra a submissão e a miséria.

Clique para ouvir:

Ao Blog do Alex Fraga, Mano Clev disse sobre a importância e toda a história que envolveu essa data histórica no cenário do Rap. "Há 20 anos, entrar no mercado da música aqui no Mato Grosso do Sul, era muito difícil e principalmente para o Rap, posso dizer quase impossível. O Master Break lançou um disco em 1996, mas seus componentes foram para São Paulo e nós ficamos por aqui. Até então não tínhamos gravado nosso disco, e aí fomos pela primeira vez ao estúdio. A primeira música que nos gravamos foi "A quem possa interessar" e o produtor dessa música foi o Luizinho, que atualmente é um grande nome na produção e o Dudu Borges, que se transformou em um dos melhores do país. Para se ter uma ideia do cara, ele já produziu Michel Teló, Luan Santana, trabalhou com Zezé de Camargo e Luciano, Milionário e José Rico e tantos outros. Tivemos a sorte de ele ter produzido essa primeira música pra gente".


Mano Clev acrescentou que posteriormente o grupo gravou com o Melo, (que era um grande produtor mas que faleceu), o "Abrakadabra". "Nós finalizamos esse disco com o Alex Cavalhieri (Frauda) do "O Bando do Velho Jack". Quero registrar aqui que um outro produtor que deu uma grande força para o Falange da Rima foi o Hall, que temos que sempre agradecer. Na realidade fizemos uma peregrinação nos estúdios, até porque na época gravar em estúdio era muito caro. Mas mesmo assim, conseguimos pagar o pessoal (aliá, a maioria fez ajudando o Falange) e assim finalizamos o disco. Mandamos fazer as copias do disco. Nós de início conseguimos vender 6 mil cópias. Um feito histórico para Mato Grosso do Sul, pois era Rap. Chegaram as cópias e aí falamos, é amanhã. Vamos distribuir nas lojas e em todos os lugares e agora as pessoas vão saber que existe Rap no Estado".


Acrescentou: "O grande lance é que as pessoas pensavam que somente em São Paulo tinha esse estilo de som, o rap, hip hop. Na verdade, eu, Magão, Flint, Dj Billy, Wilson Bolinho, entre outros, somos os pioneiros do movimento hip hop em Mato Grosso do Sul. Começamos em 89, 90. Dançávamos break nos terminais, no calçadão da Barão, Sem Censura, no Bar do Zé em 91 e 92. O Falange surgiu no final de 98 a 99, mas somos do movimento desde 89. chegou o disco e tínhamos entrado em contato com o Jornal Correio do Estado para que fizessem uma entrevista e aí o repórter disse que ia sair no dia 12 de setembro. Com o problema do atentado das Torres Gêmeas, fizeram uma edição especial e até pensávamos que não iria sair a matéria. No entanto resolveram colocar no dia 11 de Setembro de 2001 mesmo, data essa muito marcante. São 20 anos. Nós depois gravamos o segundo disco, dia 10 de março de 2013, "Esquadrão Mariposa, gravado e produzido na Japurá, com o produtor Nilvan França que também sempre deu uma grande força e jamais esquecemos. Estamos sempre na luta e neste sábado é uma data mais que especial".

38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo