top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Poesia - Vivendo na contramão, por Paulo Portuga



Quarta-feira no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com o professor, compositor, poeta e músico de Dourados (MS), Paulo Portuga, com "Vivendo na contramão".


VIVENDO NA CONTRAMÃO


Escrevemos a nossa obra

Durante todos os momentos

Cada segundo, cada minuto

Tudo que fazemos conta

Fica para sempre registrado

Em nossa turbulenta viagem

Pelo planeta Terra

Somos um personagem

Atuando num grande palco

E o abandonamos

No meio de uma floresta fria

Com bichos predadores

Que querem nos devorar

Que querem nos botar medo

Precisamos ter coragem

Para afugentá-los para longe

No fundo, não passamos

De uma mente agitada

De pensamentos acelerados

Que se constroem

A partir de uma montagem

De partes recortadas da realidade

E que não somos mais

Que uma gota no oceano

Uma fração de tempo

Que nós próprios criamos...


Somos criadores e criaturas

Uma aventura chamada vida

Que é cheia de mistérios

O desafio é desvendá-los

Para que isso aconteça

É preciso ter sede

De aprender a viver

Entender que o amor é apreendido

Que a inteligência não tem limites

Que a dor realmente existe

Que temos pés para caminhar

Não podemos simplesmente passar

Por sobre os problemas

Sozinhos não temos como

Mudar todo o sistema

Cada ato uma consequência

O tal efeito borboleta

Que no bater de suas asas

Causa um tornado

Em algum outro lugar no mundo

Um mundo controlado

Por ditadores sádicos

Que não respeita a natureza

Paulatinamente destruída

Por especuladores corruptos

Onde poderosos manipulam bajuladores

E as novas ideias mal nascidas

Já são abortadas por torturadores cruéis

Com pessoas invadidas e dominadas

Por novos colonizadores digitais...


O que nos sobra?

Apenas um punhado de utopias

Que rondam a minha cabeça

E uma voz rouca e grave me diz

Com palavras distorcidas:

- Morrer é fácil, a arte de viver é difícil!

Então vou vivendo na contramão

Acreditando no vento

Que muda as montanhas de lugar

Carregando seus grãos de areia

Que sopra a nuvem escura

Que tapava a luz do sol

Escrevendo minha história

Deixando os meus passos incertos

Para uma nova geração...


Paulo Portuga, 27/05/2024.

80 visualizações3 comentários

3 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Guest
May 29
Rated 5 out of 5 stars.

Excelente poema ☺️

María Clara de Jesus

Campinas SP

Like

Guest
May 29

Legal. Bom dia

Like

Guest
May 29
Rated 5 out of 5 stars.

Excelente Paulo Portuga!


Saudações Literárias


Marcos Coelho-Dourados-MS

Academia Douradense de Letras ADL

Like
bottom of page