• Alex Fraga

Poesia – “Sul-mato-grossense”, poeticamente com Gerson Camargo


Eu sou sul-mato-grossense,

herdeiro da raça tupi,

eu sou rio-brilhantense,

da fronteira guarani.

Índios que por aqui viviam,

paiaguás, guatós e guaicurus,

só a liberdade conheciam,

a luz do sol e o horizonte azul.


De Rio Brilhante sou natural,

pantaneiro de coração,

o Estado do Pantanal,

futuro de uma grande nação.

Eu sou sul-mato-grossense,

onde mana o leite e o mel,

o sol descansa no poente,

a lua resplandece no céu.


Ao amanhecer canta o rouxinol,

alegrando a natureza,

no encanto do arrebol,

ternura, lirismo e beleza.


Tenho orgulho da minha terra,

da sua gente hospitaleira,

no meu coração encerra,

o sentimento por nossa bandeira.


Nessa terra de Rondon,

que por aqui aportou,

com bravura e coração,

nossas terras desbravou.


De uma semente brotou,

como uma arvore cresceu,

tão frondoso ficou,

os seus galhos floresceu.


Nossa terra é de gigantes,

reina a ordem e o progresso,

temos ouro e diamantes,

poesias, prosas e versos.


Um céu cor de anil,

o horizonte é mais azul,

no coração do Brasil,

meu Mato Grosso do sul.


Gerson Camargo



73 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo