• Alex Fraga

Poesia - "Seu Astério", nas lembranças de Gerson Camargo

Mais um poema muito interessante nas letras saudosistas do poeta e escritor de Rio Brilhante - Mato Grosso do Sul, Gerson Camargo, com "Seu Astério".



Seu Astério


Me lembro de um velho peão, seus causos e suas lendas, gravei no coração, seus caminhos e suas sendas.


O seu velho chapéu, já surrado pelo tempo, seu telhado foi o céu, cavalgando ao relento.


Pelas longas estradas, deixou rastros pelo chão, o tempo não apaga, o que se guarda no coração.


Na vida de um boiadeiro, se aprende a cada dia, viajando o mês inteiro, sempre uma nova magia.


É vivendo que se aprende, foi o que ele me ensinou, de fazer o bem não se arrepende, você vai colher, o que plantou.


Seu Astério se foi, foi no rastro da boiada, ainda vejo a sua imagem, sumindo, na curva da estrada.


Deixou-me uma grande lição, que pra sempre vou levar, que a voz do coração, não se cansa de chamar.


Meu saudoso amigo pantaneiro

Gerson Camargo 02/03/2021

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo