• Alex Fraga

Poesia - Saga do ervateiro, por Paulo Portuga

Quarta-feira no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com o poeta, escritor e músico de Dourados (MS), Paulo Portuga, com o poema intitulado: Saga de ervateiro.


Saga do ervateiro


Coitado do ervateiro Amassado no barro Pelas mãos do artista Debaixo da mangueira Deitado no chão Repousa então...


Disseram que ele é feio Porque não é o Fábio Assunção Ele é de Concepcion...


Pudera ser O ervateiro mais feliz Mas como poderia? Se carregava na vida 200 quilos da dita economia Até 200 quilos Nas costas o infeliz...


Não é Fábio Assunção Mas é de Concepcion.


Que desrespeito Com o mestre Cilso Com a obra de arte Com a concepção do artista Senão o melhor, Senão o mais belo, Mas o mais justo monumento Para quem deu o sangue Nestas terras sem fronteiras.


Quem discute se é belo Não entende Que era singela e justa homenagem Ao pobre homem Que geriu com suor As rodas de então Viola e tereré, Canção e chimarrão Embaixo da mangueira Repousa agora O barro voltando ao barro O ervateiro sem pernas Sem chão Que outrora sustentaram Parte desta nação.


Só porque é feio, O pobre ervateiro Arrancado da visão De quem passava na avenida E agora não sabe Da história, da arte Que o homem se fez do barro Assim como o nosso coitado Ervateiro abandonado Embaixo da mangueira À sombra da solidão.


Agora ninguém Sabe se o ervateiro Confrontava a estética À moral ou ética Das terras de Antônio João Que dizem por aí Que por aqui nem pisara O tenente com seu batalhão.


É melhor um nobre soldado Que um pobre coitado Ervateiro com força titã Mais vale um herói com armas Que um homem com facão Que cortava a erva Cancheava e transportava Por léguas e léguas o Raíro até o barbaquá Pobre ervateiro, pobre guarani Nunca acaba seu martírio.


Um dia quem sabe O esquecido índio Como tantos outros Que ainda sucumbem Sem água na cacimba Sem erva na guampa E sem memória...


A corda desceu da testa E agora aperta a garganta Uma estátua que não é de santa Facilmente se arranca Que não é bela De barro feito à mão.


Paulo Portuga

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo