top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Poesia - Pantaneados, por Carlos Magno Amarilha

Sexta-feira no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com o escritor, poeta e professora de Dourados (MS), Carlos Magno Amarilha, com seu poema intitulado: Pantaneados


PANTANEADOS


toque ardido do rio que desceu ao céu do esgoto

peixe colorido nada contra veneno da ysca exportada

o índio sem caça carteira assinada 100 nada na calça

graça na balsa ponte embarcada na bolsa quebrada

produto barbado barbaramente soneguês

posses de guerras e assassínios

lembranças ex-ecológica mente de barcos a bala

derramando o óleo de manchas adjacentes ao rio

exportou carne que o soldado nem sonhou

apressado correu lotado e aí o boi passou dolorizado

engorda deixou mais analfabetos que flamenguistas

paga imposto do plantio meia-a-meia invisível

se virou sozinho no metro sem rumo certo

perto dali aqui vende assim quase-original

genérico mente genericamente pontual

o p está p com a política

difícil de aceitar acentuar a feita perfeita

banho de luz limpe a escuridão


(in, Bovinoletras, 2008, p. 64)

195 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3件のコメント

5つ星のうち0と評価されています。
まだ評価がありません

評価を追加
Maria Aparecida Bolzan
Maria Aparecida Bolzan
2022年9月09日

Muito legal!!

いいね!

Ruberval cunha
Ruberval cunha
2022年9月09日

Uma criticidade visceral amparada em elementos que mesclam o urbano e o rural com pitadas de ironia. Passagens com uso de paranomásia, aliteração e metáforas que reforçam o estilo de escrita pelo qual optou no texto. Os trocadilhos que passeiam nos versos nadam na técnica. A criatividade na linguagem encontra os caminhos de quem a escreve. Parabéns pelo poema. Votos de sucesso.

いいね!

Carlos Magno Mieres Amarilha
Carlos Magno Mieres Amarilha
2022年9月09日

uma porrada

poema chute

concreta

いいね!
bottom of page