top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Poesia - Mãe, morfologia e sintaxe, por Isaac Ramos

Segunda-feira, no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com o professor, escritor e poeta Isaac Ramos, de Alto Araguaia (MT), com Mãe, morfologia e sintaxe.


MÃE, MORFOLOGIA E SINTAXE

A Joana Darc Almeida Ramos


Substantivo comum ou concreto? Não importa como a gramática a classifique, É um verbo expresso no infinitivo, modo e tempo. Tuas qualidades são adjetivas. Teus encantos são numerais e inumeráveis. Não é um artigo em promoção Encontrado em shopping popular. É artigo de grife que não se compra Com um limite de cartão de crédito.

Mãe minha, tua, nossa, vossa, Tem peso de pronome pessoal, Possessivo, demonstrativo e, sobretudo, afetivo. Conjunção aditiva, explicativa, conclusiva, Jamais adversativa. Mãe preposição e propositiva. Posto que une termos que antecedem E que têm consequentes. Mãe se faz de uma conjunção carnal. Logo que o filho nasce, A conjunção é de almas e envolve todos os sentidos.

Teu modo de amar intensifica preocupações. Por isso não resta dúvida afirmar Que tua labuta é igualmente advérbio. Mãe, interjeição de mulher!

Tua sintaxe de amor trata todos os filhos como sujeitos. Tua dedicação é predicativa. Teu interesse é complemento nominal. Tua razão é complemento verbal. Mãe transitiva, Mãe que transita entre os corações De seus filhos e entes queridos. Mãe não é agente da passiva. Mãe é voz ativa. Às vezes, reflexiva. Compulsiva de amor e esperança. Mãe, para completar a sintaxe, Atribuo-lhe outras funções.

Termos acessórios, a princípio, Parecem fora de cogitação. Todavia, seus quesitos imprescindíveis, Seguramente, são apostos. Mãe é vocativo, Por isso invoco teu nome. Mãe, para terminar as funções sintáticas do amor, Quero estar adjunto do teu nome. Quero estar adjunto de teus tantos advérbios E provérbios maternos.

Mãe metáfora de amor. Pleonasmo de dedicação. Anáfora de vida. Metonímia de criação. Mãe hiperboliza o amor que tem pelos filhos. Fenômeno feminino. Superlativo absoluto analítico e sintético.

Mãe, mãe boa, mãos bentas. Tua benção me acompanha como sopro de vento. Mãe de todas as cores E nações. Arco íris de paixão e contemplação.

Mãe dramática, Mãe infinita, Mãe bendita De todas as mães.

Para terminar a morfologia E sintaxe de teu nome, Quero lhe dedicar uma agramática: Sem termos de nomes, Sem termos de verbos, Tão somente de infinitudes. A mãe é!...

Isaac Ramos

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page