• Alex Fraga

Poesia - Linha de Chegada, por Sylvia Cesco

Atualizado: 24 de mar.

Sexta-feira no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com a escritora e poeta Sylvia Cesco, com seu poemeto intitulado Linha de Chegada.


Linha de chegada

Sylvia Cesco


A menina lia e relia

todos os poemas

que cuspiam lágrimas

no armário antigo

de uma casa antiga.

Lá fora, lagartas ciscavam ariscas

a grama derretida pela semente germinada

-(e nem era ainda tempo de um tudo ou de um nada. )

esperando que uma delas fosse

a mosca viva ou morta, pouco importa.


A menina cantava e encantava os bichos-aves

com que ela se encontrava

pra ver se eles lhe ofertassem suas asas:

-não davam, e o jeito então era inventá-las

mas não era igual: todas elas lhe pesavam.


A menina-moça amava

e desamarrava amores

pois que nunca foram feitos para amarrios

haveriam de ficar ali pousados

em sedosos fios,

donos absolutos das suas chegadas

e das suas partidas:


- sábia receita pra não se sentir ferida.


A mulher galopeava e apascentava

sua estrela-guia

para que pousasse pacífica e invisível

sobre a água de vidro :

ela era a sua líquida espera

que lhe cortava e lhe sangrava

sem condescendência.

Mas por ser menina e por ser mulher,

e não um cordeiro seguindo para o abate,

escolheu fazer da poesia a sua essência

e terminou a corrida, guardando sua fé

combatendo finalmente o bom combate

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo