top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Poesia - Letargia, por Sylvia Cesco

Sexta-feira, no Blog do Alex Fraga, o espaço para a poeta e escritora sul-mato-grossense Sylvia Cesco, com seu poema 'Letargia".


Letargia

Sylvia Cesco


Me adoeci de ti:

-senti a febre das sofridas luas,

quarentei-me em dias e meses pra ser tua,

adoentou-me o nervo, o osso, o sangue, a alma.


Entediei-me em esperas, me pedindo calma,

e, mulher de Atenas, fui tecendo veias

pra que não secasse , pra que não morresse

durante tua ausência.


Cicatrizei estrelas, depurei meus sonhos,

convulsionei-me inda febril de escuros

e finalmente coagulou-se o sentimento

de não me ser permitido atravessar teus muros.


Sobrevivi de mim...

estou porém em convalescença,

em letárgico estado de malemolência ,

arrítmico delírio entre o não e o sim.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page