top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Poesia - Flores e Canhões, por Kaio Ramos

Quarta-feira no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com o poeta e ator de Dourados (MS), Kaio Ramos, com Flores e Canhões.



Flores e Canhões


Aprendi, nasci e morri em um mundo caótico,

me atirei de um prédio,

sem explicação me atirei com uma farda de plumas, paetês e honrarias cheia de sementes de bananeiras,

girassóis,

e paixão.

A morte me caiu bem,

como as rosas florescem na primavera.


A primavera chegou!

Daqui estou vendo a cavalaria com botões de rosas vermelhas,

rosas que preenchem o vazio da boca de canhões.


As trombetas soavam um coro floriculturalmente primaveril,

o sol irradia os buracos que não brotavam esperança,

era vazio,

sem rosas ou mar,

nem ar entrava,

sufoco nacional.


Sempre chegará a primavera,

contudo a outras estações!

Não se preocupe com a falta das flores,

o inverno rigoroso não matará o grão restante.

A esperança e o amor é gestante.


Os tanques estão carregadas de margaridas,

margaridas amarelas impedem o destino da munição.

As ruas são feitas de jasmim dos poetas,

as esquinas estavam cheia de sonhos,

nas conveniências e bares as gerações bebiam e cantavam a vida.


A estação chegou,

a primavera nasceu,

ela renasceu,

dentro de corações marimbondos,

corações carnais,

brotam cravos e canelas,

amor e recomeço.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page