• Alex Fraga

Poesia - Em "Deserto" a visão poética de Raquel Naveira


Uma das poetisas mais importantes do Mato Grosso do Sul, de uma maneira maravilhosa, mostra em "Deserto". angústia, realidade e esperança.

DESERTO

Raquel Naveira



Perseguido pelo dragão, Fugi para o deserto, Estava perto de mim, Debaixo da realidade.

Larguei tudo, Errei solitário, Longe da tropa, Em busca da essência, Das vozes do absoluto.

Vaguei por dunas brancas, Borboleta, Eremita, Serviram-me anjos Que me deixaram boquiaberto.

Demônios Foram meu tormento: Miragens, Bisões, O céu coberto De gafanhotos brutos.

Isolado, Afastado, Entreguei-me, Esqueleto Que se aconchega ao sol Para morrer, Secar E ser liberto.

Enfermo,

Com sede e fome, Tive uma experiência tão alta, Tão certa, Que mal posso descrever: Vi, de repente, Um caminho no deserto

e rios no ermo.

29 visualizações

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W