• Alex Fraga

Poesia - Autoexplicação versejada, por Sylvia Cesco

Sexta-feira, no espaço de poesia do Blog do Alex Fraga, as palavras sensíveis pela poeta e escritora Sylvia Cesco, com "Autoexplicação versejada".


Autoexplicação versejada


Sylvia Cesco


Meu nome não é mulher

e nem tão pouco sou gente:

sou bichoamor , sou semente

parida em brancos luares...


Não sinto frio: arrepio

é o que consome minha alma

que pode ser de quentura

da sua mão que me acalma...


Enrodilhada nas teias

vou tecendo minha vida

de artesã e fiandeira,

pelos anjos possuída

mas somente aos anjos bons

é que abro minhas portas,

escancarando as comportas

de insondáveis cachoeiras

cantadas em vários tons..

50 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo