top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Poesia - A noite em que me tornei humana, por Helena Pereira



Sábado no Blog do Alex Fraga é dia de poesia com a poeta e escritora de Amambai (MS), Helena Pereira, com "A noite em que me tornei humana".


A NOITE EM QUE ME TORNEI HUMANA


Senti a dor da solidão, o peso da culpa

Perdi o rumo, os sentidos, as vaidades, os pudores

Rastejei entre as folhas caídas no chão

Sentindo o cheiro de vômito nos cabelos


O consciente, já inconsciente nada mais pensava,

Apenas sentia tudo intensamente

Sofria silenciosamente

O coração calado por tanto tempo,

Falei de coisas que mostravam quão frágil e imperfeita sou


Vaguei como um anjo caído

Até encontrar meu anjo da guarda

Que me vendo tão frágil e inconsolável

Segurou a minha mão até a parte mais fria da noite passar


E então, ao amanhecer, eu expirei

Desprendendo-me daquele corpo frágil e fétido

Retornei ao meu status de Semideusa

Com a missão de aperfeiçoar o imperfeito

E evitar o inevitável.


Escrita em 2009

6 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page