© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
  • Alex Fraga

Opinião – Por que trazer jurados do Rio para avaliar as escolas de samba?


Geralmente, o jurado para julgar desfile de escola de samba é convidado por seu notável conhecimento acadêmico, artístico ou profissional e muitos das vezes recebe uma ajuda financeira para assistir e julgar os desfiles. Partindo desse princípio, no pensamento da Liga das Escolas de Samba de Campo Grande e até mesmo da Secretaria de Cultura do Município, a cidade não tem profissionais capacitados. Sim, isto porque tiveram que trazer nove (9) pessoas do Rio de Janeiro para “julgar” nosso carnaval. Na contabilidade chega: passagens áreas, hotel, alimentação, transporte local e até mesmo passeios (sem falar se houve um cachê, o que é quase certo). Esses dias mesmo o site riocarnaval questionou alguns pontos sobre os jurados escolhidos e colocam várias dúvidas. No que se refere ao Mato Grosso do Sul, aceitar pessoas de fora é no mínimo assinar um atestado de incapacidade cultural e intelectual das pessoas que aqui residem. O que nos deixam espantados é que ninguém questiona nada. Só porque é do Rio de Janeiro que a pessoa tem mais visão carnavalesca do que as que residem aqui? Bom, esperasse então que a tal Liga seja mais clara neste julgamento e divulgue também as justificativas dos jurados em cada quesito. Será que esses grandes jurados “cariocas” usam os critérios certos? Será que quem lê as justificativas notas com alguma facilidade que não há uniformidade no critério de julgamento. Aqui cabe explicar um detalhe: ao contrário do que muitos imaginam o sistema de julgamento das escolas de samba não é feito uma prova. Nesta o aluno chega pra fazer o teste com nota zero. Responde as questões e ganha uma nota de acordo com o desempenho. No caso das escolas, elas entram na avenida com nota máxima em todos os quesitos e vão perdendo décimos ao longo da apresentação de acordo com os erros que cometerem. E aí está o “x” da questão: quanto vale o erro? Será que não tem ninguém que reside no Estado que possa avaliar esse trabalho corretamente. Não há profissionais? O que parece é que muitos se calam no intuito de continuarem “recebendo” seus proventos e que no final “acreditam” que fizeram um excelente carnaval para a população. Trazer jurados do Rio de Janeiro realmente foi uma piada sem limite! Necessário sim, mudanças na direção da própria Liga que continua com pensamentos arcaicos e sem perspectivas de novos rumos.

82 visualizações