• Alex Fraga

Opinião – Lista regional do Festival de Inverno tem novidades e rostos antigos!

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul finalmente divulgou as atrações regionais que participarão do Festival de Inverno de Bonito que acontece no período de 25 a 28 de Julho. Surpresas? Pode-se dizer que sim, já que normalmente sempre se espera as “carinhas carimbadas” nesse evento, principalmente no que diz respeito o setor de shows musicais. Desta vez os técnicos culturais e avaliadores tiveram o cuidado de olhar para o interior, como foi a escolha de Murilo Martinez, violonista de Três Lagoas e Fernanda Ebling de Dourados. De Campo Grande, finalmente o injustiçado e talentoso Guilherme Rondon juntamente com a maravilhosa banda Urbem mostrarão seus trabalhos que devem nada para os grandes artistas de renome nacional.


A questão ruim foi divulgar os considerados “suplentes”. Acredito que não é oportuno fazer isso, Avisar o candidato sobre sua colocação, evitaria comparações como ocorreu no ano passado, que houve questionamento por deixar como "suplente" simplesmente um dos melhores artistas do Mato Grosso do Sul: Geraldo Espíndola. Necessário ter esses "pequenos cuidados" para que as especulações não iniciem bem antes do evento cultural. Na modalidade Circo, os espetáculos escolhidos foram: O Grandioso MiniCirquim do Circo do Mato e Bebê a bordo do Grupo Flor e Espinho Teatro. (ambos de Campo Grande).


No Teatro, alguns escolhidos não foram novidades, como no caso do Teatral Grupo de Risco com “Guardiões” e o Coletivo Clandestino, “Coragem que conserva os dentes”. Ou seja, nesse setor cultural, o interior do MS que tem vários grupos, foi deixado de lado. Os avaliadores poderiam dar mais atenção para esses artistas de outros municípios, pois se fazer música no interior é complicado, imaginem teatro. O Grupo de Risco que sempre está participando dos eventos governamentais (não é uma crítica aos atores, pois o grupo é excelente) está nessa lista dos escolhidos.


Na Dança, o espetáculo “Deriva” de Ralfer Campagna e Jackeline Moura, além de “Tempos Idos” da Cia do Mato, estarão no evento. Audio Visual (curta metragem): “Irmãos de Alma”, “Rema Tour – Bonito MS 2018” e “Boas Vindas” (faltam os nomes dos autores). Em média e longa metragem: Fujona – Em Busca da Liberdade”, “A Procura de Marçal” e “As Invenções de Akins” (novamente não divulgado dos autores). No setor de Artesanato: Josefa Marques Mazarão e Vergilino Lopes Bambil. Design: Célia Fernanda Pietramale Ebling e Fabio Roberto Vitor. Gastronomia: Felipe Domingos Monteiro e Marlucia Pereira Alves Morelli. Moda: Fabianne Rezek Silva, Emilinha Cordeiro Leal, Rafael Segóvia Amancio, Paula Regina Bueno Netto Nascimento e Camila Zavalo da Silva. Sabores e fazeres tradicionais: Virginia

Lito Pinto.


Enfim, os selecionados estão aí e essas serão atrações que o público poderá apreciar juntamente com os nomes nacionais que já foram divulgados. Apesar dos poucos recursos já previamente anunciados pelo governo do Estado, é necessário rever o número de atrações nacionais. Um festival desse tem que valorizar mais os artistas da terra. Uma atração nacional já bastava, pois Mato Grosso do Sul tem talentos de sobra. Ao invés dos três grandes nomes, tragam apenas um e divida esse recurso restante dos dois para a inclusão dos artistas locais. É isso, agora é esperar!

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W