• Alex Fraga

Opinião – Guilherme Rondon: um músico que faz sucesso fora e não é reconhecido no Estado!

Atualizado: 30 de Abr de 2019


O reconhecimento do “artista da terra” e principalmente estimular a importância que ele tem para a manutenção da identidade cultural da região, sem dúvida alguma são partes fundamentais para a evolução da arte de uma região. Mas infelizmente, o Mato Grosso do Sul que é um Estado onde há grandes nomes na área, não são valorizados como deveriam, tanto pelos órgãos competentes e grande parte do público. A prova disso são vários que fazem sucesso fora pois tiveram que sair para que essa fossem reconhecidos.


Um dos artistas injustiçados, mas aclamado por artistas como Nana Caymmi, César Camargo Mariano, Sérgio Reis, Ivan Lins, Lula Barbosa, Tavinho Moura, Lucinha Lins, Zélia Duncan, como também os sul-mato-grossenses, Almir Sater, Paulo Simões, Tetê Espíndola e Alzira E reside no Estado. Guilherme Rondon é sem dúvida um dos melhores artistas que temos. Com composições fantásticas, é praticamente deixado de lado em projetos culturais e até mesmo na “não” divulgação de suas canções nas rádios locais.

Guilherme Rondon é vencedor de dois Prêmios Sharp de Música e tem vários discos gravados, entre eles “TR3S”, “Piratininga”, “Rondon & Fígar”, “Claro que sim”, “Melhor que Seja Raro” e com o grupo “Chalana de Prata” formado com os amigos Paulo Simões, Celito Espíndola e o saudoso sanfoneiro Dino Rocha. Além disso, o artista tem músicas gravadas por vários artistas nacionais, sendo uma das mais conhecidas pelo público é “Vida Bela Vida”.


As pessoas têm que entender que reconhecer a nossa cultura, artistas, se faz sempre necessário quando se luta contra forças da política dos órgãos culturais e industriais que seduzem milhares de pessoas e que investem em apenas alguns segmentos considerados populares e de modismo, sem nenhum propósito intelectual. Mais ainda... Essa valorização é primordial para que possamos entender mais sobre nossa região, povo e pensamento.

O momento é de incerteza no mundo político cultural todos nós sabemos, mas essa não valorização já vem de muito tempo. São vários artistas que estão sendo deixado de lado e que por outro lado, outros são mais beneficiados por questões de amizades e políticas. A valorização é essencial para demarcar o território cultural e plantar definitivamente a nossa marca. Guilherme Rondon representa a essência musical do Mato Grosso do Sul. Vamos valorizar esse grande artista e deixar as “intriguinhas” de lado.


159 visualizações0 comentário