• Alex Fraga

Opinião – “Bêbados” perde identidade sonora com saída de Marcelo Rezende!


Na semana passada, o baixista Marcelo Rezende após 20 anos de estrada com a banda de blues Bêbados Habilidosos anunciou sua saída. Ainda mesmo pacificamente, segundo ele (o que não acredito), com certeza é um verdadeiro “rombo” para essa banda que sempre teve sua identidade com seus trabalhos autorais e que nesse tempo conseguiu uma legião de fãs. O que ocorre agora com a banda? Acredito que perdeu definitivamente seu rumo sonoro. Mesmo com a morte do grande Renato Fernandes, o ícone do gênero em Mato Grosso do Sul e no país, e a entrada posteriormente do vocalista Álvaro Vasques, o trabalho continuou numa linha interessante e até amenizou um pouco a saudade de Renato. Sabemos que Álvaro não veio substituí-lo e sim levar a sua própria arte para esse público fiel e que adora o blues. Até aí, estava tudo tranquilo. No entanto, a carência de novas composições foi notada em outras apresentações. Algo que não é bom para nenhuma banda. A mesmice irrita até mesmo os fãs. No meu entender, a saída do baixista Marcelo Rezende cai por água abaixo aquela visão e esperança que tínhamos que a banda continuaria com aquela energia deixada por Renato e que tinha tudo a ver com o trabalho musical sonoro de Marcelo. Vejo que quando sai um componente de uma banda, por mais que ele seja destaque, a maioria das vezes o trabalho continua, apesar de ressalvas. Mas a partir do seu segundo e terceiro integrante, inicia assim o processo de “desfiguração” de ideias e dos próprios compromissos profissionais. Não esquecendo que bem antes Fabio Brum já havia optado para sair e seguir para São Paulo ondehoje é um dos melhores guitarristas do país. Cabeças pensantes diferentes demais abalam tudo. Todos sabem que estar em uma banda ou grupo musical, é como estar dentro de uma sociedade e que implicará em saber conviver com pessoas com pensamentos diferentes. No entanto, apesar das diferenças, devem ter o mesmo objetivo para dar tudo certo. Pelo jeito, o que ocorreu na “Bêbados Habilidosos” foi justamente isso: “ perdeu-se o foco” e Marcelo Rezende “perdeu o tesão” em continuar com seu belo trabalho e não cair na pura simplicidade. Pelo que conheço o baixista Marcelo Rezende, o freio foi puxado antes do tempo e tudo desandou! Quem perde com certeza é a Bêbados Habilidosos e o público. Marcelo Rezende se dedicará mais com a Gessy & The Rhivo Trio, que sem dúvida, desde seu surgimento conseguiu romper barreiras e em pouco tempo ser uma das principais no gênero em Mato Grosso do Sul. É isso...

339 visualizações

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W