• Alex Fraga

Música - Som da fronteira no "Projeto Vertentes" dia 19

No próximo domingo (19), às 18 horas, na Casa de Ensaio - (Rua Visconde de Taunay, 203 – esquina com a Avenida Afonso Pena – em frente da Igreja Perpétuo Socorro)), o projeto Vertentes criado pelo Coletivo Campo Grande Música apresenta sua 10ª edição, trazendo o lado da nossa fronteira com a música de Magron Escobar, Juliana Monteiro, Fábio Kaida e Marcelo Loureiro. Os ingressos custam apenas R$ 30,00 e meio R$ 15,00.

Magron Escobar é músico multi-instrumentista, cantor, compositor, produtor musical e diretor artístico. Magron Escobar, nascido em Mato Grosso do Sul – Brasil. Iniciou sua carreira aos 14 anos de idade tocando em bailes regionais no MS com os Grupo Maxsom e o Grupo Garotos da Fronteiras. Aos 17 anos almejando reconhecimento e sucesso mudou-se para capital do MS, integrando diversos grupos musicais entre eles a dupla sertaneja Luis Alberto e Eduardo (2ª voz). Integrou também: Banda Unisom, Banda Mafalda Electro (PY), Grupo Sem Fronteiras, Banda Los Escor’s (PY), Grupo Calendário, Grupo Som do Mato, Grupo Legião Baileira, entre outros. A partir 2006 se tornou Diretor Artístico, Produtor Musical e Cenógrafo, tendo destaque em diversos projetos nacionais entre eles: DVD Grupo Zíngaro, DVD Grupo Tradição, DVD Tostão e Guarany (25 anos de carreira), DVD Grupo Eco do Pantanal, entre outros. Em 2016 lançou single sertanejo “Tinha que acontecer” com participação da cantora Bruna Campos, lançado em todas as plataformas digitais pela B-Pop Music. Em seguida deu uma pausa na carreira para estudar e se entregar profundamente à este projeto que seria lançado somente em 2019, porem seguindo com os trabalhos de direção artística e produção musical. Enfim 2019 lançou em todas as plataformas digitais o Álbum Internacional intitulado “Chamamé Correntino Acústico” pela gravadora MM Music Records nos EUA, sendo lançado simultaneamente em todo o mundo. Executou os eventos musicais: “Latino acústico”, “Momentos” e “Tereré musical”, juntamente com Coletivo de Música de Campo Grande-MS.

Juliana Monteiro começou sua carreira em janeiro 2016 aos 24 anos. Energia pura. Nascida em Aquidauana, MS. Negra, Índia, linda e tremendamente forte. Mulher síntese do Pantanal sul-mato-grossense. Cantava na igreja… Até que um dia, por acaso, cantou na passagem de som em um evento. O olhar atento de um produtor percebeu uma profissional da música. Dali para frente começou todo um trabalho artístico. Nos bares já sabia que desejava os grandes palcos. Das cidades ao redor de Aquidauana para palcos como Barretos, Villa Country, e agora em todo o Brasil. ”Quero dar o meu melhor. Acertar mais do que errar. Viver da minha música e alcançar minhas metas. Uma delas é ser a maior atração regional e chegar ao Brasil. Levar público nos eventos e ter uma grande audiência nas redes sociais. E quando eu alcançar, traçarei uma nova meta”..

Fábio Kaida nasceu em Campo Grande, aos 5 anos de idade conheceu a harpa paraguaia trazida pelas mãos de seu pai, que na época fazia apresentações pelo estado de Mato Grosso do Sul e Paraguai, que assistia a todos os ensaios do conjunto do seu pai e observava atentamente tudo o que era executado e depois tentava reproduzir numa velha harpa. Começou sua carreira musical aos 15 anos de idade, numa parceria com seu pai, estava formado ali o ‘Duo Los Barbosa’. Aos 18 anos foi convidado para fazer parte do afamado Grupo Sombra, em 1993 mudou-se para o Japão onde ficou até 2002. De volta ao Brasil foi convidado por Michel Teló para participar do DVD Micareta Sertaneja do Grupo Tradição, onde dividiu o palco com artistas consagrados como Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano e João Bosco e Vinicius. Atualmente está com dois projetos, dirige a banda Nação Latina e é integrante do Trio Violada, juntamente com seu grande amigo Gerson Douglas, ex acordeonista do Grupo Tradição; Com o Trio Violada participou do programa de televisão Super Star da Rede Globo e do CD oficial da Festa de Peão de boiadeiro de Barretos SP no ano de 2014. Fábio Kaida com o Nação Latina, já dividiu o palco com artistas consagrados como, Lucas Lucco, Edson e Hudson, João Bosco e Vinicius. Fábio foi contratado para tocar em um evento particular da afamada dupla Bruno e Marrone. Fábio Kaida durante sua trajetória conseguiu inserir a harpa paraguaia onde ela jamais havia chegado, apresentando para um enorme público, ritmos como bolero, tango, cúmbia, polca paraguaia, chamamé e para a surpresa daqueles que assistem e assistiram suas apresentações, executa temas da Música popular brasileira como “Garota de Ipanema” e “Tico tico no fubá” e tem como principal objetivo apresentar seu novo espetáculo ‘América sem fronteiras’ em todos os rincões do Brasil.

Marcelo Loureiro é instrumentista, de estilo marcante, mescla informações de diferentes estilos musicais e busca novos caminhos dentro da arte do violão, predominando influências da música folclórica latina. Estudou técnicas de violão clássico, popular, erudito e flamenco, mas adaptou uma técnica própria no violão. Representou a cultura do Estado e do Brasil em eventos por alguns países da América Central - Cuba, América do Sul - Chile e Argentina, América do Norte - Estados Unidos e Europa - Itália, Espanha, França, Portugal. Autodidata, durante sua trajetória se dedicou a estudar outros instrumentos. Adaptou a técnica utilizada no violão para a viola caipira, charango e a arpa paraguaia, que atualmente fazem parte de seus shows. Participou de alguns programas de televisão nacional como, Jô Soares, Raul Gil, Ratinho, Fantástico (quadro Me Leva Brasil) e Viola minha Viola, da TV Cultura, apresentado pela Inzeita Barroso. Participou do concurso nacional Voa Viola, patrocinado pela Caixa Econômica Federal, foi classificado entre os 12 melhores violeiros do Brasil e ganhou o prêmio na categoria instrumental. Foi convidado a se apresentar na sede da ONU – Organização das Nações Unidas - em Nova Iorque na abertura do evento “Mato Grosso do Sul visto pelo mundo”, uma exposição realizada pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul. O evento reuniu embaixadores e diversas autoridades do mundo. Produziu o show “Saudações Pantaneiras”, no qual participa em parceria com o músico e compositor Geraldo Espíndola. Participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016 representando e divulgando o estado de Mato Grosso do Sul, no evento do Ministério do Turismo, na Casa Brasil, e no Rio Media Center. Executou o Workshop musical Marcelo Loureiro Cordas e Contos, que passou por 8 cidades do estado e atendeu gratuitamente mais de 1.500 crianças e adolescentes dos projetos de música mantidos pelos municípios em questão. Representou o estado do Mato Grosso do Sul no maior evento mundial de turismo de aventura, o Adventure Travel World Summit, na cidade de Salta, na Argentinha.

O evento acontece uma vez ao mês e apresenta um formato diferente para a apreciação da boa música. O espaço da Casa de Ensaio, por ser um local de diversas atividades educativas com jovens e adolescentes, não permite o consumo de álcool e comidas dentro de suas dependências, porém há venda de comida e bebida na parte externa oferecendo por igual conforto e qualidade para o consumo destes. E também há vendas de CDs e DVDs dos artistas que se apresentam no projeto no dia do evento. Toda a renda arrecadada pelo projeto Vertentes é repassada aos artistas que se apresentam.

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W