• Alex Fraga

Música – Grineberg com lives de blues na hora do almoço


Um dos melhores nomes do blues do país, o músico paulistano Adriano Grineberg (Grineberg) que já esteve no Mato Grosso do Sul realizando shows, inclusive no Bonito Blues & Jazz Festival, em tempo de “isolamento social” iniciou ontem uma nova sessão sw lives na hora do almoço e que se estenderá até o domingo, dia 12. Sem dúvida uma maneira gostosa nesses momentos de tempos difíceis, de sentir mais leve com a sonoridade fantástica deste artista singular.

Grineberg diz que é “uma forma de humanizar a quarentena interagindo com os sons que vão inspirar o seu almoço diariamente, desde a hora do preparo até a hora de servir. Todos convidados e bom apetite!”. Às 12horas Facebook - Perfil público Adriano Grineberg https://www.facebook.com/adrianogelezoglo. Às 13horas Instagram (Horário Brasília). As lives ficarão salvas até às 17 horas na timeline das plataformas. Couvert artistico opcional e poderá ser depositado na seguinte conta: Banco Bradesco - AG 1445-1 - Conta Poupança 7781529-5 - CPF 251.561.648-89 - Adriano Gelezoglo Grineberg.

Grineberg é pianista, compositor, arranjador e cantor. Paulistano, iniciou seus estudos aos 5 anos de idade em piano clássico. Estudou na Escola Municipal de Música. Em sua formação erudita além das influências de grandes nomes como Beethoven, Mozart e Bach, recebe a de compositores que misturavam a linguagem tradicional dessas escolas com elementos da música folclórica de outros países – Brahms, Mussorgsky, Dovrak, Villa Lobos – além dos impressionistas Debussy, Satié e Ravel.

Desde cedo Adriano Grineberg mostrou preferência pelo blues, jazz e rock progressivo dos anos 70. Músico de formação, sempre pesquisou as vertentes da música popular e mais tarde expandiria seus horizontes musicais para a pesquisa da música folclórica e étnica de muitas localidades como os continentes da Ásia e da África, os quais influenciaram fortemente sua musicalidade e os atuais trabalhos do artista. Com virtuosismo e conhecimento raro na linguagem de piano Blues no Brasil, aos 16 anos já acompanhava grandes artistas do gênero no país como o cantor americano JJ Jackson e posteriormente nomes como Irmandade do Blues, Corey Harris, John Pizzarelli, André Christovam, Lancaster, Big Time Sarah, Deitra Farr e a lendária banda Blue Jeans, com a qual gravou um DVD com Magic Slim, um dos ícones do blues de Chicago. E abriu três vezes os shows de BB King em 2004.


Tamanha bagagem trouxe a Adriano Grineberg a graduação de ser o músico brasileiro com o maior número de participações em gravações de CDS e DVDS de blues, sendo 43 até junho de 2014. Finalmente em 2010 seu primeiro CD solo é gravado ao lado de sua banda Adriano Grineberg Quarteto que já fazia shows desde 2000 e vinha com um repertório afiadíssimo de composições próprias e Standards Blues em releituras cheias de originalidade. "Key Blues", o primeiro CD onde um pianista de blues brasileiro interpreta além das teclas, os vocais, dando um enorme salto na carreira participando dos principais festivais de jazz e blues do país e em veículos de mídia como Programa do Jô, Todo Seu com Ronnie Von, Jornal da Record, Sala de Música, Rádio CBN e muitos outros.


O Show Key Blues e percorreu mais de 100 cidades. Em 2013 Adriano Grineberg resolve enfrentar o maior desafio de sua carreira, gravar um projeto que unificasse todas as suas influências de sua rica bagagem de formação e experiência de mais de 20 anos de carreira. Resgata na ancestralidade da música da África e suas extensões um novo ponto de partida para sua carreira, liberta de rótulos, onde todo sentimento e formas pudessem se fundir em um Único oceano. O álbum Blues for África toma forma como síntese de duas décadas de pesquisas abrangendo todas as formas de expressão e sentimentos da África.


Adriano Grineberg é um verdadeiro "Showman" e faz ao lado de sua banda uma apresentação com total interação com o público, transcendendo o blues e o reverenciando como uma expressão universal numa viagem que vai além de um gênero musical, localidade ou época específica. Aliado à alegria e intensidade da música africana, são incluídos no repertório clássicos de referências como Ray Charles, BB King, Jerry Lee Lewis, Bob Marley e citações de mestres da música brasileira como Pixinguinha e Luís Gonzaga. Música sem fronteiras. "Um show moderno, vibrante e pulsante". Então vale a pena conferir suas lives até domingo! Sul-mato-grossenses não se esqueçam do fuso horário! (Com informações da Revista Blues`n Jazz)

67 visualizações

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W