• Alex Fraga

Música – Cassino Boogie, Allan House & Mississipi Jr e Adriano Grineberg fecham a última noite do Bo

A terceira e última noite do Bonito Blues & Jazz Festival será no dia 22 de Junho (sábado), e receberá praticamente a essência do bom blues. Cassino Boogie (Campo Grande), Allan House e Mississipi Jr (Cuiabá) e nada menos do que o melhor pianista de blues do país, o paulista Adriano Grineberg. Sem dúvida o festival fechará com a chamada “chave de ouro”, com o melhor do ritmo para que todos possam se deliciar com a qualidade musical desses artistas.


CASSINO BOOGIE - A banda campo-grandense teve o seu início em março de 2003, pela ideia um grupo de amigos com um projeto musical diferenciado: tocar obras de músicos e bandas renomadas do Rock’n Roll, do Blues e da Soul Music, com influências dos anos 60, 70, 80 e 90 levando ao público a experiência de uma banda formada com naipe de metais, algo não muito comum no Estado até a época. Uma proposta, senão nova, diferente das formações musicais habituais em Mato Grosso do Sul e até mesmo em outros Estados da Região Centro Oeste. Ao longo de 16 anos de existência, a banda passou por diversas formações, mas sempre contando com músicos experientes e com diversos trabalhos em outras bandas.


É formada por: Nick Munaro (guitarra/vocal principal), Gonçalo ‘Sappo” Jr.(contrabaixo/vocais), Emerson Cambará (bateria), André Escobar (trompete), Adriano Nascimento (sax alto/tenor), Eric Silva (sax barítono) e Roberto Jr. (teclados – convidado especial). Com um repertório diversificado, contendo clássicos que marcaram gerações, a banda tem um público abrangente, fato comprovado nas apresentações ao vivo onde o público é formado por pessoas de diferentes faixas etárias.


ALLAN HOUSE & MISSISSIPI JR - De Cuiabá uniram forças no verão cuiabano de 2018 para formar um power duo cujo Norte é dar uma cara nova à tradição do blues rural. Com apenas um ano de estrada já contam, somados, com uma comunidade de mais de 1000 seguidores nas redes, e um currículo que inclui participação em eventos beneficentes como o Little Peter Blues 2, em Campo Grande - MS, e os festivais 5º Bonito Blues & Jazz Festival, em Bonito – MS, o III Geodésica in Blues Festival, em Chapada dos Guimarães – MT, Abril Pró Blues de Lucas do Rio Verde - MT e o Curitiba Jazz Festival 2018, em Curitiba – PR.


Composto pelas harmônicas incandescentes de Mississipi Jr., e a versatilidade dos vocais, bumbos e slides de Allan House, o duo alia aos temas do blues, dos spirituals e work songs o experimentalismo da world music, resultando em uma experiência lisérgica visceral. Luis Henrique Ávila, guitarrista paulista, define o a dupla como “o melhor duo de Mato Grosso”, e Decio Caetano, blueseiro paranaense, como “a revelação do blues do Centro-Oeste”.

.

ADRIANO GRINEBERG - Com mais de vinte anos de carreira, Adriano Grineberg é considerado um dos maiores músicos de blues contemporâneo do Brasil. Sua música é o resultado da combinação de uma variedade de referências da música internacional como Ray Charles, Taj Mahal e Bob Marley, e de grandes mestres da música brasileira como Pixinguinha, Luiz Gonzaga e Tim Maia. Em seu trabalho reverencia também as raízes da música da África e da Índia – país este onde já viveu. Esta combinação inusitada de influências traz para a sua música uma originalidade e singularidade sem fronteiras.

Pianista de formação erudita, compositor, arranjador e cantor, no final da década de oitenta descobriu no blues uma paixão que o levou a acompanhar grandes artistas do gênero como Deacon Jones (EUA), John Pizzarelli (EUA), Andre Christovam (BRA), Corey Harris (EUA), Igor Prado (BRA), Big Time Sarah (EUA), Deitra Farr (EUA), James Wheller (EUA), Jimmy Burns (EUA) e Magic Slim (EUA) – tendo gravado com este último um CD ao lado da banda Blue Jeans (BRA). Em 2004, Adriano Grineberg abriu três vezes os shows de B.B. King em São Paulo. Seu trabalho foi reconhecido dois anos seguidos (2016 e 2017) com o Prêmio Profissionais da Música/Music pro Awards (Brasil) na categoria Melhor Artista de Rock e Blues.





No cenário da musica brasileira, teve passagem pela banda Ira! (uma das maiores bandas do rock brasileiro), tendo acompanhado e gravado com Filipe Catto, Arnaldo Antunes, Elba Ramalho, Wanderléa, Ana Cañas, Gilberto Gil e Paralamas do Sucesso. Antes dos 40 anos de idade conquistou a marca de 150 aparições em fichas técnicas de discos. Um artista naturalmente eclético, produziu 10 discos de New Age e World Music em parceria com o guitarrista Edu Gomes, com destaque para o álbum Música para os Florais de Bach, obra reconhecida com o selo de autenticidade do Edward Bach Institute (Inglaterra).

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W