• Alex Fraga

Live – Radialista Ciro de Oliveira homenageia músicos de MS


Quando ouço a voz do radialista e jornalista Ciro de Oliveira, lembro-me muito da frase de David Lee Roth que disse: “Eu cresci no rádio e não na TV”. Assim, em época de isolamento social, esse profissional inquieto mais uma vez demonstra esse amor ao rádio e todos os dias dentro de sua casa, por praticamente uma hora no ar, faz sua live musical. A programação sempre com excelente gosto musical normalmente é variada, no entanto, ontem (30), ele fez uma justa homenagem a música do Mato Grosso do Sul. Escolheu alguns artistas e seus CDs lançados para que as pessoas pudessem passar o fim de tarde suave e ouvindo canções de qualidade. Em sua live, Ciro iniciou com Guilherme Rondon, um dos principais nomes da música sul-mato-grossense, com a canção do disco lançado em 2016, “Melhor que Seja Raro”, com a música feita em parceria com a maravilhosa cantora Zélia Duncan: “”Melhor que Seja Rara”. Em seguida, brindou com a Música “Coração Teimoso” do disco de Paulo Simões, “Outras Canções”, lançado no ano passado, com participação do Expresso Arrasta-pé e de Rodrigo Sater. Com um bate papo formal como sempre fez, Ciro mostrou duas canções do que é considerado o “mestre” da música sul-mato-grossense: Geraldo Espíndola, com “Bonito” e “Vida Cigana”. Citou nomes de artistas que devem ser ouvidos sempre, como Giani Torres (Dourados), Guga Borba, Begèt De Lucena, Ju Souc e Chicão Castro. Carlos Colman foi outro artista que ele fez questão de tocar, dizendo que o conhece desde os tempos da Rádio Difusora, quando ele gravava suas fitas cassetes (alias, disse que até hoje tem uma fita com música inéditas do artista que talvez nem ele saiba). Escolheu o CD Parceria, com a bela canção “Pra você que vem de longe”. Sempre sincero em suas colocações, esse grande profissional de comunicação afirmou que uma das melhores fases da música do Mato Grosso do Sul foi dos anos 80 e que talvez por estar “velho” demais não está conseguindo digerir algumas coisas feitas atualmente por alguns artistas da terra (algo que também não consigo). Encerrando sua live de casa, tocou a dupla Américo e Nando, canção “Madrugada”, depois Delinha, a nossa dama do rasqueado, com a música de Paiva e Doralice Rodrigues, do disco Moagem, a “Voo do Condor”. Assim, “Semente”, de Almir Sater e Paulo Simões, primeira parceria entre os grandes artistas, encerrou a tarde noite gostosa com canções da “Rádio-Live” de Ciro de Oliveira. Muita bom passar as tardes ouvindo as dicas musicais desse grande profissional.

.

90 visualizações0 comentário