top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Literatura - Adriana Calcanhotto nesta segunda na 35ª Noite da Poesia



O tradicional evento da Capital que já trouxe nomes de peso como Viviane Mosé, Ariano Suassuna e Gabriel Pensador, agora traz Adriana Calcanhotto para falar de poesia.


*** Aline Lira e Lucas de Arruda***


Conhecida pelo seu vasto legado na cena musical, a artista Adriana Calcanhotto chega a Campo Grande para mostrar outra faceta criativa desenvolvida ao longo de sua carreira: a literatura e a sua relação com a poesia. E quem promove esse encontro cultural é a 35ª Noite da Poesia que será realizada nesta segunda-feira (9), às 19h, no Teatro Glauce Rocha. Entrada gratuita. A Noite da Poesia é uma realização da UBE MS em parceria com a Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande), instituição vinculada à Prefeitura Municipal de Campo Grande, com apoio da MKT Produções.


“Adriana Calcanhotto é uma poeta, vejo suas composições como poesia adaptada para canções. Percebe-se um refinamento criativo muito próximo da elaboração de um poema. Há de se ter um conhecimento de literatura, tanto para compor como para ouvir. Claro que nas canções consideramos também a interpretação e creio que esse fator é um atrativo para os fãs, mas a sua potência poética é semelhante a do poema, capaz de consagrar princípios inovadores, inclusive”, enfatiza a presidente da União Brasileira de Escritores do MS, Lucilene Machado.


Diferente de um show, o encontro com Adriana Calcanhotto será em forma de bate papo para o público conhecer mais sobre a relação da artista com a literatura e a influência da palavra no seu trabalho artístico. Uma oportunidade para escritores e leitores mergulharem na trajetória poética dessa artista que tem trabalhos editoriais para diferentes faixas etárias e com ligações com escritores consagrados como Ferreira Gullar e Vinicius de Moraes.


“O evento é sempre a manifestação do nosso tempo. Sobre o que estamos falando? As palavras do poeta são também as palavras do povo. São suas e são de outros. O poema é um tecido de palavras perfeitamente datadas, um ato original do qual a história coletiva ou individual poderá se beneficiar, é uma condição de existência”, lembra Lucilene sobre a importância do evento que chega a sua 35ª edição.



Vertente literária


No universo infantil, uma das obras de destaque de Calcanhotto é o livro “Antologia Ilustrada da Palavra Brasileira”, em que ela organizou uma seleção e fez ilustrações para 48 poemas, que vão de Canção do Exílio, de Gonçalves Dias, até poemas de Olavo Bilac, Carlos Drummond de Andrade e Adélia Prado.


E engana-se quem acredita que essa é a única obra da artista dedicada às crianças. Em 2004, ela lançou o disco “Adriana Partimpim”, apelido dado pelo pai quando pequena e que a artista adotou para lançar 10 canções em uma roupagem mais juvenil. Projeto esse que rendeu a ela o Grammy Latino, na categoria Melhor Álbum Infantil.


Quanto a escolha da sua assinatura como um heterônimo foi algo inspirado na tradição criativa e reconhecida de nomes consagrados como o escritor português Fernando Pessoa e do músico britânico Matthew Herbert.


Já direcionado ao público adulto, amante da literatura, Calcanhotto tem várias produções, dentre elas o livro “ É Agora Como Nunca: Antologia Incompleta da Poesia Contemporânea Brasileira”. Obra que ao invés de focar na herança poética de nomes consagrados, buscou dar destaque a nova safra de talentos na poesia. Por isso, reuniu nomes como Gregório Duvivier e Alice Sant’Anna.


Tamanho talento em conciliar arte brasileira tradicional e contemporânea em seu repertório, levou a artista para o além-mar a fim de atuar como professora convidada na Faculdade de Coimbra (Portugal). Instituição onde começou a lecionar sobre composições musicais, em 2017, além de cursar Arqueologia. Experiências que a artista compartilha com seus fãs por meio da sua criação musical, literária e em eventos com bate papos poéticos.


Em se tratando de conversa, esse também é um campo bem familiar à artista não só pelos shows e, mais recentemente, pela vida acadêmica como também pelo fato de que, em 2014, Calcanhotto encarou um novo desafio: ser apresentadora de TV. Naquele ano, ela conduziu o programa “Poesia em Movimento” onde trouxe artistas consagrados como Arnaldo Antunes e Antônio Cícero para falar de poesia não como elemento de produção artística, mas, como protagonista de suas obras.


Premiações


Na 35ª Noite da Poesia, além do talk show com Adriana Calcanhotto também haverá premiação dos melhores poemas inscritos nas categorias de autores nacionais e sul-mato-grossenses. Os prêmios chegam até R$ 5 mil.


“Não creio que o mais importante seja o prêmio em dinheiro, isso também é importante, o poeta tem as mesmas necessidades que todas as pessoas, mas sim promover esse ‘fazer poesia’, promover essa experimentação. O poema, que é um ser de palavras, vai além das palavras, vai além da história, não se esgota em seu sentido e simultaneamente é uma expressão social, é uma manifestação histórica, como diz o escritor mexicano Otávio Paz: o poema é poesia e, também, outra coisa”, pontua a escritora e presidente da UBE.


Informações pelas redes sociais Instagram e Facebook (@ube.ms) e (@mktproduções).


*** São jornalistas

70 visualizações0 comentário

Коментарі

Оцінка: 0 з 5 зірок.
Ще немає оцінок

Додайте оцінку
bottom of page