• Alex Fraga

Dourados - Festival Jatobá promove união musical no dia 8

Nos últimos tempos nota-se que o movimento musical em Dourados (MS) está crescendo e com muita qualidade. Normalmente esquecidos nos grandes projetos órgãos culturais do Estado, artistas da cidade sempre estão encontrando uma maneira agradável de mostrar seus trabalhos, sejam eles nos bares, nas universidades ou mesmo em shows individuais. O mais importante disso é que em matéria de música, destacam-se os trabalhos autorais.

Um desses exemplos acontece no próximo dia 8 no Festival Jatobá, onde estarão se apresentando a excelente cantora Giani Torres, a banda Dagata e os Aluízios que está entre as melhores do Mato Grosso do Sul, os excelentes e talentosos instrumentistas Werther Fioravanti e Simão Gandhy, e Porangantu.


O guitarrista Simão Gandhy disse que acredita que o Jatobá virou um reduto dos músicos em Dourados. No espaço, 100% do couver artístico é convertido para o músico (algo raro nos dias de hoje) e o artista decide o que vai tocar, no entanto dão preferência para quem toca música autoral justamente para incentivar esse ponto criativo. Disse que muitas vezes eles músicos trabalham arduamente em composições próprias e não têm onde apresentá-las. “Não sei dizer se o movimento musical está crescendo em Dourados, mas posso afirmar que ele está saindo das sombras. O fato de ter um espaço propício trouxe à tona ótimos músicos que eu nem sabia que existiam e isso vem estimulando outros a saírem da “toca” e se reunirem, se conhecerem, darem “canja” uns com os outros”.


Fernando Dagata, músico, cantor e líder da Banda Dagata e os Aluízios é da mesma opinião. Acredita que é necessário que os artistas se reúnam e principalmente mostrem seus trabalhos autorais para o público que é tão carente de boas canções. Para ele o surgimento do espaço Jatobá somente mostra que pessoas acreditam fielmente no trabalho dos artistas de Dourados e apostam principalmente no autoral. “Estamos felizes em participar desse verdadeiro encontro que com certeza terão muitos outros para que possamos mostrar nossos trabalhos”.


Serão sete horas de música, tendo início às 16 horas e com o término previsto para às 23 horas. Vale ressaltar que os proprietários do Jatobá Café e Lazer onde acontecerá esse evento têm como proposta em valorizar os artistas de Dourados e muitas vezes também outros do Estado como já ocorreram como apresentações por exemplo de Guga Borba e Rodrigo Teixeira de Campo Grande. Não depender exclusivamente dos órgãos culturais sejam eles do Estado ou do Município é sempre um grande avanço. Artista não pode surgir como um simples trampolim para políticos e nem deve ser um mero empregado “com cachê atrasado”. Iniciativa maravilhosa dos douradenses!.


52 visualizações

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W