• Alex Fraga

Crônica - " Ela era um Blues do Norte", por Narinha Lee

Domingo, agora no Blog do Alex Fraga, crônica da poeta e escritora campo-grandense, Narinha Lee, com sua crônica " Ela era um Blues do Norte" - com base em faatos reais acontecidos quando ela morava em Québec.

Ela era um Blues do Norte

Era primavera em Québec. Eu a via todos os dias pela manhã. Abria a pequena cortina da janela da cozinha, e lá estava ela. Branca, magra e desfolhada. Às vezes parecia santa, mas nem tanto... Mesmo sem ouvir era capaz de escutar o seu pranto. Sob a laje do subsolo um cantinho... Num minúsculo banquinho uma silhueta parecia pesar sobre ele. Era ela! Não sei de onde veio, mas lá estava dias após dias magra, branca e desfolhada. Intrigava-me! Eu na minha constante impavidez e falta de imobilidade não entendia aquela silhueta estática olhando para o nada como se visse tudo. Minha alma sempre desnuda para o mundo, mirava aquela cena intrigante. Apesar do incômodo eu precisava vê-la todos os dias. Era algo inusitado para o meu cotidiano acelerado. Num dia em que o Sol estava recluso, abri a pequena cortina e ela não estava lá... Uma frustração tomou conta de mim. Ela tinha que estar lá... Eu precisava daquela visão. Já fazia parte da minha loucura humana. Horas depois ela surgiu e lá ficou olhando o nada, toda desfolhada... Sorri! A imagem em ribalta satisfazia minha curiosa e louca visão do cenário atípico. Por vezes pensei em falar-lhe... Não ousei quebrar aquele silêncio quase mortal para mim. Penso que ausentar-se e quedar-se na imobilidade seriam formas encontradas para driblar as adversidades. Assim, no vácuo da sua existência flutuaria simplesmente. - Seria essa uma das armas dos mais fracos? Ela se foi numa gelada manhã. O vento a levou para o norte do norte. Não me deixou nenhuma lição, mas marcou minha visão. Nunca a esqueci. Acho que ela era um Blues do Norte. Narinha Lee

65 visualizações2 comentários