• Alex Fraga

Crítica – Zeca do Trombone brilha com um disco digital impecável!


Sempre me posicionei duramente contra aqueles que tentam “comandar” da Cultura do Mato Grosso do Sul e não dão valor merecido aos artistas. É óbvio que não são todos que trabalham nos órgãos culturais são assim. Há muita gente com boas intenções, mas devido questões políticas e burocráticas são impedidas de levar essa a Cultura a sério. Mas aí vão dizer: o que tem a ver com o disco digital “Zeca do Trombone Canta”? É que esse artista, como tantos, é mais um que não tem esse apoio necessário. Procurei atentamente ouvir as 13 músicas deste disco, sendo nove delas compostas em parceria com o compositor Paulo Robson de Souza esse e-book bilíngue recém-lançado no amazon.com.br e que está disponível em todas as plataformas digitais como youtoube, spotfity, entre outras. Na realidade, Zeca do Trombone dá um verdadeiro presente para nossos ouvidos. Qualidade musical irreparável, suavidade que mistura jazz, blues e o som regional. “Estranha Alegria de Viver e Se Extinguir” (dizia Camus), uma canção que lembra aquele rock dos Mutantes e que faz com que voltamos ao passado com solos de uma guitarra que voa ao meio de uma letra formidável. “Dar a Lua a Razão”, ele vem com uma bossa nova, a cara do artista que tem um gosto musical elevado. “Rio da Prata”, faz uma bela homenagem a esse lugar mágico do Mato Grosso do Sul com o som típico do MS, misturando o acordeon e o seu trombone. Mágica canção, suavemente bela. Continua no regionalismo com ”Eco festival 92”, dá um show de interpretação, fluindo esse encontro entre o trombone e o acordeon, mais uma vez se juntando para transformar o que sempre será belo. Uma letra que conta sua jornada dos “eco festivais”, homenageia seus amigos músicos. Zeca vem assim com seu lado das canções americanas de boa qualidade e com composição novamente em parceria com Robson. “Sweet Dead Baby Boy”, lembra muito aquelas lindas canções interpretadas com Frank Sinatra. Ao mesmo tom e sequencia, chega com a maravilhosa “Carpe Diem”, um blues de qualidade fantástica. “Para Espantar o Banzo” (Tema de Madri), mais uma vez a influência do jazz-blues mostra que sua linha musical é por essa vibe. “Damned”, outra estilo Sinatra. Surpreendentemente linda! “Carta ao Zeca” (Sweet Dead Baby Boy) trazido em português. “Dar a Luz a Razão”, particularmente uma das mais belas desse trabalho digital. Romanticamente encantadora. Faz um remix de “Amor Sem Fim” e “Endlessy” encerrando com outra versão de “Amor Sem Fim”. Esse trabalho “Zeca do Trombone Canta” vale com certeza shows em diversas cidades do Mato Grosso do Sul com apoio dos órgãos culturais. Um trabalho que contou com a participação de nomes conhecidos na música, como o músico, compositor e arranjador Mestre Galvão, o compositor Eduardo Ramirez, guitarrista Geraldo Damasceno, acordeonista Elinho Filho, baixista Heitor Corrêa e as cantoras Elouise Miranda e Luciana Amaral. A versão das letras em inglês contou com a colaboração da professora, Aline Menezes. Simplesmente fantástico e que vale apena adquirir o e-book e ouvir “suavemente”, saudando a boa música!

198 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo