• Alex Fraga

Crítica - "Sonhos Guaranis" é um resgate cultural que deve ser visto por todos!

Fotos - Marcos Morandi - - - -

É impossível não se emocionar! Talvez seja essa a frase ideal para dizer sobre a grandeza que é o show do músico, cantor e compositor Paulo Simões com seu "Sonhos Guaranis", pequena turnê que encerra neste sábado em Ponta Porã (MS) e que passou por Corumbá. Ontem foi a vez da população de Dourados desfrutar desse verdadeiro e inigualável show musical. O artista teve que concorrer ao Fundo de Investimentos Culturais (FIC), da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul para que fosse beneficiado. Esse é outro assunto que deveria ser discutido mais amplamente, pois um cara desse nível e que tem contribuído com a cultura sul-mato-grossense, jamais deveria estar participando e concorrendo editais para mostrar seu valoroso e rico trabalho musical, histórico educacional. Um artista que deve ser apoiado anualmente para levar espetáculo como este para todas as cidades do Estado. O que Paulo Simões e sua banda mostraram ontem na Praça Antônio João em Dourados foi uma verdadeira aula de história, pesquisa, música, poesia e cultura em geral. Uma produção impecável do tamanho que Simões merece. No palco, uma banda com nomes renomados e quem conhece os músicos, obviamente sabe que com certeza algo lindo seria realizado: e assim o foi. Renan Nonato, Gilson Espíndola (que é o responsável pela direção de palco), Maria Alice, Marcelo Ribeiro, Romário Amorim, Ju Souc formam o "estrelato musical" com Paulo Simões em "Sonhos Guaranis". Estrutura impecável e com um painel de led onde em cada canção mostrava passagem fotográficas de momentos maravilhosos, relatando os fatos de acordo com as músicas. Um intérprete de libras e em todo o espaço da praça os cuidados com a pandemia, com distribuição de máscara e álcool gel algo notado e que tem que valorizar a produção. O espaço para dança foi preenchido pelos bailarinos Érico Bispo e Ana Vieira, ao som musical, mostraram o trabalho folclóricos sul-mato-grossenses desde os passos e rodopios de uma polca paraguaia, como o Cururu e o Siriri. O show por si já causa um impacto maravilhoso quando inicia com "Cuitelinho", canção de Paulo Vanzolini e Antônio Carlos Xandó,. Brilha assim a encantadora e suave voz de Maria Alice. Assim o espetáculo começa a fazer sua viagem, contando suas histórias poéticas e a verdade sobre esse som fronteiriço forte-dançante. Chalana, Prenda Querida, A Mato-Grossense, O Jacaré", "Comitiva Esperança", "Trem do Pantanal", "Sonhos Guaranis" entre outros grandes sucessos de nossa região foram preenchendo o show. Músicas com parceiros como Almir Sater e Renato Teixeira e de Délio e Delinha tiveram seu brilho. Duas das mais conhecidas de Geraldo Espíndola ( Kikiô e Cuinhataiporã). Falar o show "Sonhos Guaranis" é jogar emoção, principalmente quando pudemos ver membros da nação guarani ir ao camarim de Simões e formar uma roda dançar juntamente com o artista. Algo inesquecível. "Sonhos Guaranis" merece "rodar" todo o Estado e outras capitais do país para mostrar a força musical e histórica que o sul-mato-grossense tem! "Sonhos Guaranis" foi um dos shows mais belos e completos que tive oportunidade em assistir. Andrea Freire arrasou na direção artística. Que Ponta Porã se delicie nesta noite deste sábado, pois vale muito a pena.










.


154 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo