• Alex Fraga

Crítica - Simão Gandhy e Dominique Bernal "quebram" tudo no Bonito Blues Jazz !

Paraguaio Dominique Bernal e dourandense Simão Gandhy fizeram show inesquecível!

Fotos: Valentim Manieri

O grande bluesman BB King disse: "A beleza do aprendizado é que ninguém pode roubá-lo de você". Mas vão dizer: Porque essa frase se engloba em uma crítica cultural do show dos músicos Simão Gandhy (Dourados MS) e Dominique Bernal (Assunção PY) realizado no segundo dia de Bonito Blues & Jazz Festival ? Na realidade, o que os dois fizeram em uma noite mágica e de puro blues foi um ensinamento gostoso de como ouvir e sentir no corpo música de qualidade. Uma aula onde o aluno não quer sair da sala jamais. Ensaios anteriores entre os dois? Não. Quando dois gênios se encontram, isso o que mesmo importa. É prazer! Eles fizeram a famosa "geleia" e assim surgiu o que mais gostam: o improviso com técnicas invejáveis. O show teve a cara da proposta do festival: música de qualidade e com profissionais impecáveis tocando o blues e jazz. A banda esteve impecável em todos os momentos. Pudera: os músicos com muita qualidade.

A participação da saxofonista paraguaia Nicole Balansa foi algo a parte. Uma instrumentista que mostrou técnica apurada e não sentiu o peso de estar em um palco com Dominique, considerado um dos principais músicos do Paraguai e Simão Gandhy que está entre os melhores guitarristas do Mato Grosso do Sul. Outro ponto: apesar de estar fora do contexto do evento e do próprio show de Simão e Dominique, a rapper douradense SoulRa mostrou um pouco do seu trabalho. No entanto é necessário ter muito cuidado para que ela não caia na "mesmice" ou ser considerada a queridinha do momento e querer sempre estar em shows de diversos estilos - o que seria enjoativo e virar "arroz de festa" como se falam popularmente. Vão me questionar: "Então um(a) rapper não pode participar de um evento de blues? Até pode, mas é discutível, principalmente quando a pessoa se empolga e alonga demais sua participação. Foi cedido uma canja? Ótimo! Mas canja é algo breve. Canja não é complemento de shows. A proposta dela musicalmente boa e tem uma voz até interessante, composição autoral, mas não era propício naquele momento. Por sua vez, Simão fez sua estreia como cantor e não decepcionou. Se o público douradense está acostumado com ele tocando seus acordes inconfundíveis através sua guitarra, agora Mato Grosso do Sul ganhou um grande cantor, principalmente no que se refere ao blues. A música boa tem mais um vocalista.

Simão Gandhy é um artista singular como o é Dominique Bernal que brilhou com seu saxofone, gaita e voz. Dominique é daqueles artistas que além de ser um talento raro, consegue interagir facilmente com o público, com uma simpatia incomum nos dias de hoje em shows musicais. Simão Gandhi e Dominique em um determinado momento não se contentaram ao final do show, desceram do palco e tocaram ao meio do público. Um show que sem dúvida foi um dos melhores das várias edições do Bonito Blues & Jazz Festival. A produção do evento acertou em convidá-los. Ah!, não esquecendo sempre das belas "canjas" do apresentador-músico-jornalista Clayton Sales que deram um toque especial em algumas das canções neste show em clima de Mississipi e Nova Orleans. Fantástico e inesquecível para quem viu e ouviu!

Fotos: Valentim Manieri







287 visualizações6 comentários