• Alex Fraga

Crítica - Rapper General R3 brilha e vai na contramão da pobreza musical!

O rapper Dexter escreveu: “É tudo uma questão de pensar positivo, você é do tamanho do seu sonho, amigo”. Esse positivismo fez que eu ouvisse pelo menos por quatro vezes seguidas o novo trabalho intitulado Bio Poesia do rapper Rodrigo Castejon, o General R3. Esses dois anos de luta para lançar seu CD com oito faixas (poesias coletadas a dedo), me fez repensar em tantas facilidades que alguns artistas sul-mato-grossenses conseguem com seus “conchavos” com órgãos culturais e outros que vão nessa contramão do sistema, somente com a ajuda dos “manos” e a força de vontade de outros.


Poemas cantados com a mais expressão do rap. Um grito da periferia que não é ouvido pela elite borralha que muitas vezes prefere se afundar em letras pobres do dito “sertanejo universitário”, que infelizmente ainda impera em nossa terra. Bio Poesia do rapper General R3 é simplesmente a voz, palavra, sentimento profundo, protesto e respeito com a verdade para alguns que insistem em deixar invisível a situação nos bairros mais distantes. O trabalho lançado por ele é munido de coisas naturais e do cotidiano. Cada palavra, frase encaixada em suas canções serve como uma “bomba” direta nas mentes dos que apreciam trabalhos musicais sérios, sem reparos ou mesmo frases completam sequencias que imaginamos vir.


O rapper inicia seu CD com a canção “Identifique se”. Não sei se a palavra foi escrita propositalmente sem o hífen, mas isso não interfere na verdadeira “porrada” na consciência das pessoas. Então mais outras belas músicas seguem: “Bio Poesia”, “Sozinho Aprendi”, “Invisível Social” (um apelo fortíssimo), “Domingo de Tardezinha”, “Imaginei um final feliz”, “Modestamente”, “Nega Volta Pra Mim” e encerra com o seu lado inglês, lembrando o som americano forte do rap, “Thief Want’s Money”. Todas suas canções têm aquele suingue gostoso que o rap mostra e entra nas veias.


O trabalho de General R3 é um discurso rítmico com rimas e poesias. Notoriamente a cultura do hip hop presente neste trabalho faz com que possamos ter esperanças no surgimento de novos bons trabalhos musicais no Estado.

Esse rompimento de barreiras deve ser imediato para que mais pessoas possam ouvir o grito de Rodrigo Castejon. Merece ter mais espaço, principalmente nos projetos governamentais. Esse CD Bio Poesia é um retrato fiel da verdade existente na periferia. Recomento a todos!

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W