© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
  • Alex Fraga

Crítica – Fronteira se rende com o blues da Whisky de Segunda

O blues é um ritmo sagrado. Mas o que falar de uma banda que há anos vem mostrando esse som no Mato Grosso do Sul e com grande competência. Mescla em seus shows canções de grandes nomes como BB King, Muddy Waters, John Lee Hooker, Albert Collins entre outros, mas, no entanto, o mais importante é que a campo-grandense Whisky de Segunda faz um trabalho autoral impecável cantando genuinamente o inglês. A banda que fez sua apresentação no sábado (15) no Parque dos Ervais, que recebeu o Festival Internacional da Cerveja Artesanal de Ponta Porã, transformou o local em uma Carolina do Norte, a bela Louisiana ou mesmo Mississipi, terras do blues americano.


O público da fronteira que teve o prazer de assistir e ouvir Robson Pereira, Jefferson Pasa, Cauê Fava, Carlos Henrique e Eric Phill com certeza ficou literalmente de “boca aberta”. Foi unânime todos os comentários que a maioria que estava ali assistia pela primeira vez uma banda de blues e com um trabalho maravilhoso. O mais importante de tudo é que a apresentação da banda em Ponta Porã conseguiu encantar a todos e deixou sua marca forte do seu som. Brasileiros e principalmente paraguaios dançaram e aplaudiram com entusiasmo a Whisky de Segunda.


No início do show como muitos que estavam ali ainda não tinha ainda tido a oportunidade de ouvir blues de perto, a timidez imperou. No entanto, a Whisky que sempre toca seu repertório de acordo com o comportamento do público, imediatamente começou a tocar um som mais balançado e aí imediatamente a resposta foi de aplausos intensos. Robson Pereira, vocalista desceu no palco e como sempre cantou bem perto das pessoas que se sentiram gratas e até mesmo espantadas com tamanho carinho do artista. No mesmo estilo, o guitarrista Jefferson Pasa e o baixista Cauê Fava desceram e tocaram também para o público. Êxtase total!


Dentro das belas músicas dos monstros do blues, a Whisky também romantizou e mostrou que é sem dúvida uma das bandas que mais representa esse maravilhoso som em todo o país. O guitarrista Jefferson Pasa também protagonizou um momento muito especial onde um menino subiu ao palco e o músico disse para tocar nas cordas enquanto fazia as notas. Essa entrega e receptividade da banda que também conquistou ainda mais a todos. Sem dúvida a Whisky de Segunda deixou sua marca na fronteira e com certeza em breve voltará. Um show lindo como sempre!



48 visualizações1 comentário