• Alex Fraga

Crítica – DVD da douradense Misbehaviour é um registro surpreendente!

Escrever sobre o novo trabalho da banda sul-mato-grossense de heavy metal de Dourados (MS), Misbehaviour intitulado “Live in Pandemic (ao vivo na pandemia)” poderia ser até tranquilo justamente porque não é por acaso que a banda está resistindo há praticamente 25 anos com esse som que como Ozzy Osbourne disse: “Enquanto houverem garotos chateados o heavy metal continuará existindo”. E esses quatro caras: Gilson Buzzio, Nairon Medina, Johny Lokura e Guilherme Queiroz, tecladista com certeza seguem o mesmo pensamento: sempre estarão chateados com as coisas erradas neste mundo. Um trabalho que foi gravado em um barracão de Dourados com uma temática de luz e sombras que lembram uma situação de desolação e caos – o que mostra claramente a situação que todos vivem nesse planeta de pandemia. Um trabalho 80% autoral e apenas três covers da banda metal alternativo armeno-americana formada em Glendale – Califórnia, System of a Down. A banda sul-mato-grossense foi contemplada pela Lei Aldir Blanc. O DVD “Live in Pandemic (ao vivo na pandemia)” é uma verdadeira “porrada” para os que insistem em dizer que música tem que ter suavidade eterna. Mas o que seria essa suavidade? Óbvio que os amantes do heavy metal têm uma “suavidade” diferenciada. A performance do vocalista Gilson Buzzio tocando baixo surpreende, mesmo demonstrando um pouco de nervosismo na primeira canção, mas aí seguiu mais a vontade e brilhou também com sua voz rasgante. Os três outros integrantes também estão em muita sintonia: Jonhy Lokura, baterista impecável, seguro e que em determinados momentos, lembrou batidas de grandes feras como o próprio Igor Cavalera, Mike Portnoy ou mesmo o fantástico Nicko McBrain. O guitarrista Nairon Medida com solos precisos, mostra que toca muito quando se refere ao heavy, sendo o verdadeiro maestro em todas as canções, ditando cada compasso. Guilherme Queiroz, um músico ímpar que em seu teclado e vocal, preenche as lacunas do trabalho com muita qualidade. Mas não deixa por menos quando substitui Buzzio no baixo tocando o som da System. Sem dúvida outra fera da banda dourandense. Ouvir toda obra “Live in Pandemic (ao vivo na pandemia)” dá aquela sensação que esse som provoca saúde metal - emana vibrações positivas, seja nos jovens ou nos mais velhos como eu que adoram esse gênero musical. Indico para ouvir esse trabalho que pode ser visto em um canal do YouTube já disponível para todos os adoradores desse som: https://www.youtube.com/watch?v=5zJBmswYSPU&t=549s . Vale a pena assistir e ouvir...



69 visualizações0 comentário