top of page
  • Foto do escritorAlex Fraga

Crítica - Dora Sanches: encanto, emoção e profissionalismo impecável!



"Cantar é próprio de quem ama!". (Santo Agostinho). Pois é, muitos devem estar estranhando iniciar uma critica de um show com uma frase de um um santo. Mas quem assistiu a cantora Dora Sanches, abrir o show do cantor Tiago Iorc no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande (MS), na última sexta-feira (8), teve esse sentimento do que é cantar com amor. A artista é diferenciada: presença de palco, segura no que está realizando e canta um repertório primoroso. Abriu seu show com nada menos - "Disparada", canção de Geraldo Vandré e Théo de Barros, sucesso na voz de Jair Rodrigues. Voz forte e ao mesmo tempo delicada - arranjos esplêndidos (aliás, a tônica em todas as canções apresentadas no show de Dora). Sempre segura de si e diferente de muitas outras cantoras que surgem por aí, ela em seguida veio com suas canções autorais e outras autores de nossa região: "Meu Lugar", essa que gravou com a participação de Gabriel Sater. Uma letra bela que em seu meio diz: "Tive que dizer adeus/Às matas que chamei de lar/Pois quem carrega sobrenome/Vê a estrada e quer trilhar. Cantou "Sonhos Guaranis", de Paulo Simões e Almir Sater - um suspiro que transformou ainda mais bela do que o arranjo original. Outra autoral, "Fora de Alcance", Dora outra vez coloca todo seu potencial como compositora e romântica. Linda!. Ousada, cantou Let's Stay Together, de All Green. Aliás, essa canção fez uma apresentação especial no Rio de Janeiro com o ex pianista de Amy Winehouse, Xantoné Blacq. Na realidade, foi um verdadeiro escândalo de interpretação. Belíssima! Outras autorais e dessa vez a mais recente; "Cotidiano" e a já conhecida de seu repertório autoral, "Nunca é tarde demais". Sendo justamente o show no Dia Internacional das Mulheres, cantou "F.O.D.A" - uma letra fortíssima e que passa um recado para que o sexo feminino seja realmente autêntico e livre!. Dora voltou com "Vida Cigana", de Geraldo Espíndola - mais uma roupagem diferente - um blues/pop sensacional. Dora Sanches mostrou sua capacidade de escolher um bom repertório, encerrou seu show com nada menos "Eu apenas queria que você soubesse", de Gonzaguinha. Foram apenas 10 canções que com certeza marcaram a todos presentes. Vale ressaltar também o profissionalismo dos três músicos que acompanharam a cantora: Leo Fernandes (teclados), Guilla (baixo) e Iuri Nascimento (guitarra). Por fim, Dora Sanches brilhou e encantou. Na realidade entre os dois shows da noite ( Dora e Tiago Iorc), o da cantora foi mais gostoso e interessante de assistir e ouvir, sem desmerecer o trabalho de Iorc, mas o de Dora Sanches foi o me mais me agradou!







69 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Guest
Mar 11
Rated 5 out of 5 stars.

Maravilhosa. Canta muito!

Like
bottom of page