• Alex Fraga

Crítica – Campo Grande decepciona: Dourados e região dão exemplo no show do Roupa Nova

Parece que mais uma vez o público campo-grandense se esqueceu do que significa a palavra “comportamento” – ou seja, procedimento de alguém face a estímulos ou a sentimentos e necessidade íntimos ou combinação de ambos. Digo isso pois o que ocorreu no show do Roupa Nova na última sexta-feira (13) foi algo de deixar qualquer um indignado. Não é de agora de isso ocorre e o que parece é algo decorrente da cultura tupiniquim “capitalesca”. Achar que morar em uma Capital é melhor que o outro e pode fazer o que quiser. Educação na realidade vem de berço e a maioria que frequenta espetáculos aqui se esquece.


Alguns absurdos ocorreram no show de sexta, que desde já digo que não foi culpa da empresa promotora do evento, que alias foi até passiva demais por tentar resolver da melhor maneira os problemas. Agora não dá para suportar certas coisas como: pessoas que trabalham na Justiça dando “carteirada” para entrar gratuitamente com amigas e escolher os melhores lugares. Não dá para aguentar “jornalista” do interior do Estado visitando a Capital querendo mesa e ameaçando em falar mal do evento site em que trabalha (aliás que nem tem muito acesso e credibilidade). Não dá para aguentar pessoas trocando os números das mesas na tentativa de enganar o cerimonial e ficar em um melhor lugar. Não dá para aguentar pessoas que compram mesas do evento e ficam em pé filmando pelo celular, atrapalhando as outras que também adquiriram um lugar privilegiado para assistir o espetáculo.


É triste ver tudo isso. Os promotores de grandes eventos fazem de tudo para trazer bons espetáculos na Capital e o retorno normalmente não é o esperado. Isso desaminada e muitos estão querendo investir mais nas cidades do interior. O campo-grandense em sua maioria prefere pagar mais caro para assistir um show em São Paulo ou Rio do que em sua própria cidade, só para depois postar nas redes sociais dizendo que esteve fora da cidade se “alimentando” de Cultura. No show do Roupa Nova o público não foi o esperado. Outro problema péssimo em Campo Grande é que a maioria das pessoas acha que tem direito de ganhar cortesia. Não se pode anunciar um show ou evento pago que todos querem ir gratuitamente. Cortesia é para quem patrocina, apoia de alguma forma, e que dê retorno, ajude a produção e produtores. Não é porque a pessoa é politica, trabalha na justiça, militar, jornalista que não é da área, ou é de outra profissão influente terá que entrar de graça. Mas, alguns em Campo Grande têm essa mania. E o pior que muitos ganham a cortesia e depois falam mal do espetáculo.


Já o show do Roupa Nova em Dourados no sábado (14), o público deu exemplo. Pacientemente entrou no local da apresentação e lotou as dependências do Salão de Eventos da Unigran ( belo local). A parceria entre Marcus Barão e Daniel Freitas foi perfeita. Não houve “carteirada” e reclamações de controle de mesas. Não houve jornalista que não é da área pedindo ingressos. Para se ter uma ideia do profissionalismo, ocorreu um momento e em que um rapaz aparentemente alcoolizado ficou em pé. Imediatamente o promotor de eventos Daniel Freitas, educadamente colocou uma cadeira e pediu para o rapaz sentar pois estava atrapalhando outras pessoas: sentou-se sem reclamar. Todos que entraram foram revistados, o serviço de garçons perfeito, facilidade de acessos aos banheiros e saída do show. Tudo como uma produção de qualidade pode ter.



É óbvio que teve momentos em que as pessoas levantaram, dançaram, pois o próprio grupo Roupa Nova pedia e a música exigia isso. Assim o público o fazia. Mas tudo no melhor divertimento, sem atrapalhar em nada. O público se mostrou seleto, educado e deu exemplo de como sair de casa, divertir-se e ser feliz. Ao contrário do campo-grandense que ainda pensa que pode fazer o que quiser, pois está “pagando” ou até ganhou cortesia. Douradenses e moradores de todas as cidades mais próximas que estiveram assistindo o Roupa Nova em Dourados sem dúvida estão de parabéns. O interior do Estado sim sabe como se alimentar de Cultura! Campo Grande precisa aprender boas maneiras e ser feliz. É claro que não estamos generalizando, mas os promotores de eventos estão preferindo mais investir no interior e não mais na Capital. É necessário prestigiar, comparecer nos bons eventos e ter respeito!

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W