• Alex Fraga

Artigo - Paulo Freire Centenário, por P. Osmar Resende

Domingo, o espaço de artigo no Blog do Alex Fraga, é com o salesiano P. Osmar Resende, da Paróquia Dom Bosco, Guarapuava (PR), com o texto "Paulo Freire Centenário".

PAULO FREIRE CENTENÁRIO


Nosso amigo, Paulo Freire, completa 100 anos. Sim, tornar-se-á centenário, porque permanece vivo na consciência de seu povo. Povo nordestino, povo brasileiro e no mundo inteiro.

Ele nos diz: “a educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem”. Inspira-nos, pois, a santa ternura, o AMOR, para com todo ser humano, principalmente para com aqueles mais fracos e oprimidos. E a coragem para vivenciar no dia a dia, estes ideais, estes sonhos por ele tão queridos.

E assim sendo, “é preciso que a leitura seja um ato de amor”. Dessa forma, o amor, começa por uma leitura correta da realidade. Uma leitura apaixonada, porém sem ódio, nem rancor. Apenas indignação, se necessário for.

Indignar-se é necessário. O próprio Cristo que recomendou o perdão, a paciência, a mansidão, em determinados momentos moveu-se de INDIGNAÇÃO contra os abusos, as falsas interpretações dos códigos e da realidade.

Daí a necessidade de uma grande HUMILDADE: “Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre”.

“Não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes”. É uma grande verdade. Consequentemente, “ninguém, educa ninguém, ninguém educa a si mesmo; os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo”.

Em outras palavras: “Ninguém liberta ninguém. As pessoas se libertam em comunhão”.

Sonhamos com mundo interativo, de intensa reciprocidade, de difusão e inclusão do conhecimento, para melhor transformarmos o mundo envolvente e dele sabermos usufruir, com parcimônia, justiça e fraternidade.

SONHAR é preciso. Sonhar alto. “Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar.”

Todos nós podemos e devemos ser discípulos. Discípulos da verdadeira Sabedoria, discípulos uns dos outros, se queremos ajudar no processo do conhecimento e de transformação da realidade.

“Não existe docência sem discência”, reconhece o nosso amigo, Paulo Freire.

COERÊNCIA é fundamental, no pensamento de Paulo Freire: “É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática.”

Para Paulo Freire o DIÁLOGO é essencial: “Líderes que não agem através do diálogo, mas insistem em impor suas decisões, não organizam as pessoas – elas as manipulam. Eles não liberam, nem são liberados: eles oprimem.”

E uma condição sine qua non para o diálogo é o AMOR, pois “se eu não amo o mundo, se não amo a vida, se não amo as pessoas, não posso entrar em diálogo.”

Apesar de sua análise crítica, realista da realidade, da sociedade, mantém uma perspectiva otimista: “As terríveis consequências do pensamento negativo são percebidas muito tarde.”

Assim sendo ele se move no terreno da ESPERANÇA. “Enquanto eu luto, sou movido pela esperança; e se eu lutar com esperança, posso esperar”.

Diz-nos o Mestre: “se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”. Por mais que a educação, a escola, possa ser repetidora do sistema, existem sempre brechas onde podemos ajudar a preencher, nesta busca de transformação da realidade, sonhando com um mundo melhor.

Homenageado por mais de 35 Universidades ao redor do mundo, um dos autores mais citados no campo da educação, que se tornou célebre por seu best-seller “Pedagogia do Oprimido”, bem como “Educação como Prática da Liberdade” e “Pedagogia da Autonomia”, Paulo Freire continua como referência mundial em termos de educação libertadora.

Portanto é bem merecida a homenagem que se faz pelo seu CENTENÁRIO. Sua memória será imperecível.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo