• Alex Fraga

Artigo - Campo Grande, Cidade Morena (Lembranças)

Domingo, no Blog do Alex Fraga, dia do artigo do salesiano P. Osmar Resende, de Guarapuava (PR) com seu belo texto intitulado "Campo Grande, Cidade Morena (Lembranças)".

CAMPO GRANDE, CIDADE MORENA (Lembranças)

Osmar Resende


Conheci Campo Grande pela vez primeira em 64. Era então aspirante em Coxipó (Cuiabá). E viemos para o Congresso das Companhias. Tinha gente das várias presenças salesianas da região. Foi muito proveitoso o intercâmbio. Alguns fatos perduram na memória. No torneio de futebol, o centro avante de Cuiabá pede ao ponteiro direito: "dispedja!"

Padre Firmo nos levou de ônibus a visitar a cidade: o avião da FAB, que foi na guerra; Rádio Educação Rural e Jornal do Comércio; Obelisco; Praça Ary Coelho. Ficaram na memória.

Em 68 permaneci aí como aspirante. Um ano extraordinário. Festivais, Woodstook (ah! foi 69), Guantanamera, Caminhando contra o Vento, Disparada, Pra não dizer que não falei de Flores... sucessos da época que me marcaram.

Fui pro interior de São Paulo. Voltei em 73, 74 pra Lagoa da Cruz. Dois anos muito ricos também. Teatro, música. A vida segue em frente.

Fui pra Teologia em São Paulo. Os anos se passaram. E eis que retorno em 85, permanecendo até 90. Aí tive oportunidade de participar de dois concursos literários promovidos pela Secretaria de Cultura da Prefeitura, tendo sido publicadas coletâneas de verso e prosa dos participantes.

Daí fui pra Cuiabá e a vida segue em frente.

No ano de 2001 tive a grata satisfação de lançar meu livro "Mensagens Místicas de um Eremita" na UCDB, juntamente com outros autores como P. Gildásio Mendes e Raquel Naveira, se não me engano.

Campo Grande acolheu também meus primos vindos de Mineiros, Goiás: Neusa, Neide, Onilto, Francisco, Antônio e Luzia, filhos de meu tio Elviro Olintho de Resende.

Vieram um a um atraídos pelas condições favoráveis aos estudos, trabalho, sobrevivência. E, por falar nisso, Campo Grande é o berço de inumeráveis membros da Família Resende ou Rezende, que têm a mesma origem.

Não posso esquecer também que, como salesiano, temos a Casa de Retiros na Lagoa da Cruz, onde nos reabastecemos espiritualmente todos os anos.

E o que dizer das Furnas do Dionísio, que marcaram indelevelmente minha memória?

Hoje Campo Grande nos orgulha pela sua beleza, seus parques, avenidas, suas araras, pelo povo trabalhador. Ultimamente passou por uns tempos de turbulência política que se refletiu nas vias públicas, mas parece que aos poucos vai recuperando sua beleza, seu vigor.

Para mim, Campo Grande é sempre uma referência, como salesiano, que me acolheu, me ofereceu condições para o meu discernimento, na busca do sentido da vida. Campo Grande, Cidade Morena, a ti eterna gratidão.

106 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo