• Alex Fraga

Arte Visual – Lino Bambil entra em sua nova fase com as “caras de boi”

O artista plástico (visual) Lino Bambil, conhecido por começar sua carreira com seus trabalhos usando o cipó como elemento para criar sua arte com diversas formas inimagináveis, está em uma nova fase e que agradou bastante aqueles que puderem ver as caras de “bois” com a folha do buriti (uma palmeira muito alta, nativa de Trinidad e Tobago e das regiões Central e Norte da América do Sul, especialmente da Venezuela e Brasil), no Festival de Inverno de Bonito encerrado na semana passada.


Disse que sempre gostou que usar a natureza em seus trabalhos com o carandá, pindó e até mesmo a guariroba, cabaças e folhas entram nessa criatividade do artista. Assim Lino Bambil "imagina" essas formas e começa a criar, como são os casos dos seus conhecidos índios. A simplicidade em forma de arte que atrai os olhares daqueles que gostam de Cultura em geral, bem criativa.


A nova fase das "caras de boi" novamente veio do olhar atento do artista. Disse que enxergou com detalhes a parte do buriti e que prendia ao caule. Imaginou a cara do boi e fez um recorde que deu exatamente o que queria. Colocou as cores, o verde,

azul e o mais escuro. Sua autoexpressão sem dúvida é uma das marcas desse grande artista que merece elogios justamente por acompanhar e dar um “empurrão” para a natureza gritar em arte e brilhar em cada peça.


Uma nova fase que o artista está gostando e que imediatamente descarta a comparação com o trabalho artístico de Humberto Espíndola. “Não tem nada a ver com os bois do Espíndola. A criatividade é outra, além do mais ele é um dos nossos maiores representantes de nossa arte visual. Minha arte vem diretamente da natureza, com as peças que dou formas na minha imaginação e das pessoas também. Estou muito satisfeito com essa mudança e continuarei descobrindo outras formas na natureza”.

0 visualização

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W